Existe coisa melhor para diferenciar as gerações do que a tecnologia? “Na minha época, não era fácil desse jeito”. Aposto que você já ouviu essa frase do seu pai ou do seu avô e, certamente, já deve ter dito para as crianças da família.

O pulo tecnológico que crianças de 15, 10 e 5 anos presenciaram é relativamente grande, pois muitos gadgets e aparelhos se tornam obsoletos em pouco tempo. Com essa ideia, listamos abaixo 10 aparatos que o público infantil não sabe usar nos dias de hoje. 

10 – O primeiro iPod

Não, essa tela não é touchscreen. O conceito de displays comuns para aparelhos mobile é pouco difícil de explicar para as crianças da nova geração. O primeiro iPod foi revolucionário para o seu tempo, pois permitia que as pessoas armazenassem e escutassem toda a sua biblioteca de músicas em um só dispositivo (antes, as músicas eram reproduzidas via fita cassete ou discmans).

O modelo original da Apple sequer tinha a barra de rolagem sensível ao toque, portanto, descarte qualquer tecnologia mais avançada, como conexão sem fio (Bluetooth e WiFi) e tela colorida.

9 – Computadores

Bom, computadores estão longe de serem obsoletos, mas a realidade é que as crianças têm utilizado cada vez mais tablets e smartphones do que os desktops convencionais. Jogos e apps são muito mais atrativos do que programas, códigos de linha e interfaces robustas. Hoje em dia, caso um game ou utilitário não funcione em aparelhos mobile, basta fechá-lo e abri-lo novamente.

Por conta disso, o público infantil sequer sabe o que é DirectX, .NET e outras bibliotecas que precisam ser instaladas para que softwares funcionem corretamente no PC. E, caso o Windows pare de funcionar, é melhor levar para um técnico, pois formatar um computador é algo de outro mundo para os mais jovens.

8 – Câmeras de filme

Atualmente, as crianças entendem como câmera aquele aparato localizado atrás do tablet ou smartphone. Caso elas conheçam um pouco mais de tecnologia ou sejam um pouco mais velhas, conseguem identificar as máquinas digitais também. Contudo, e os aparelhos que usavam filme fotográfico? Provavelmente, dizer a elas que não era possível ver como uma foto ficou no mesmo instante pode ser uma grande surpresa.

7 – Digitar em teclados numéricos de celulares

Na década de 2000, não havia WhatsApp nem Facebook – algo que, por si só, já é algo inacreditável para os pequeninos. Tínhamos que escrever os SMS com o teclado convencional do celular, que era numérico. Para digitar os caracteres, era preciso teclar de uma a até quatro vezes no mesmo botão para conseguir a letra desejada.

6 – Consoles de fita

Mega Drive, Nintendinho, Game Boy e muitos outros fizeram parte da infância de muita gente. Assoprar as fitas e jogar com a tela dividida era algo comum para uma criança da época. Hoje em dia, os meninos e meninas estão acostumados a baixar apps e jogá-los no mesmo instante. Atualmente, até a mídia física dos consoles já é algo estranho para os pequeninos.

5 – Pagers

Antes dos celulares se popularizarem – afinal, eram muito caros – e do SMS existir, haviam os pagers. Também chamados de BIP, o aparelho tinha um único propósito: mostrar que um número tentou entrar em contato com você. Era como uma caixa postal ambulante, mas sem mensagem. Posteriormente, o dispositivo ganhou o recurso de receber e responder textos.

4 – Disquetes

Se as crianças sequer usam DVDs e Blu-Rays – sim, nós não mencionamos o CD – hoje em dia, quem dirá os disquetes. Este acessório era o pendrive da sua época e salvou o trabalho de muita gente. Ele teve diversos tamanhos, modelos e espaço de armazenamento distintos, mas, atualmente, é apenas o ícone para salvar os documentos do Word.

3 – PDA

Os smartphones são, de certa forma, recentes. Antes da invenção desses aparelhos milagrosos que concentram todas as atividades em um só lugar, havia o PDA. Inclua na lista os Palms, os Windows Pocket PCs e os Blackberry, todos com “apps” primitivos. Também não existia conexão móvel e nem vastas opções de softwares para eles. Atualmente, eles não passam de “tijolões” para as crianças.

2 – Modem Dial-up

Já estamos acostumados com a internet paga de alta velocidade, mas, em algum momento, muitos de nós usaram a conexão discada. A criançada convive em uma era que tudo está ao alcance da mão e do WiFi de alto desempenho, mas nem sempre foi assim. Que atire a primeira pedra quem nunca usou a internet depois da meia-noite para pagar apenas um pulso.

Além disso, sempre que quiséssemos navegar na web, tínhamos que conectar manualmente no computador e ouvir o bizarro – ou talvez nostálgico – barulho de conexão. O que não dá saudade é a velocidade de navegação, não é mesmo? A experiência com o público infantil você pode conferir aqui.

1 – Fitas cassetes

Antes dos CDs e disquetes, existiam as fitas cassetes. Se você quisesse ouvir música no carro ou na rua, deveria ter um aparelho que reproduzisse essa mídia, que era menor que os discos de vinil e possibilitou a mobilidade. Contudo, sempre que o conteúdo acabava, tínhamos que rebobinar o rolo de filme.

Essa tecnologia foi a percussora do MP3 Player e da mídia digital dos smartphones. Posteriormente, o VHS veio ao mundo e possibilitou que as pessoas assistissem a filmes dentro de casa. Quem nunca pagou multa na locadora por não rebobinar o filme? Se você não sabe a relação entre uma caneta e uma fita dessas, provavelmente é mais novo.