Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

#BrequeDosApps terá nova paralisação de entregadores dia 12 de julho

1 min de leitura
Imagem de: #BrequeDosApps terá nova paralisação de entregadores dia 12 de julho
Avatar do autor

Por Igor Almenara Carneiro

via nexperts

Uma nova paralisação dos entregadores de aplicativos de delivery está sendo planejada para dia 12 de julho. A manifestação reivindicará os mesmos direitos do protesto anterior, realizado na última quarta-feira (1°) pelos entregadores dos principais serviços de entrega: iFood, Rappi, Uber Eats e Loggi.

O chamado #BrequeDosApps conta com atos presenciais elaborados pelos trabalhadores e difundidos nas redes sociais. Dessa vez, a data da manifestação foi decidida por meio de uma enquete em redes sociais e WhatsApp com a participação de 26 mil entregadores.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A primeira paralisação, além de ter impactado na demanda de entregas em toda a América Latina, tomou as ruas de grandes centros no Brasil e em países vizinhos. Cidades como Rio de Janeiro; Brasília; Recife; Porto Alegre e Salvador tiveram várias ruas e avenidas ocupadas por centenas de entregadores exigindo melhores condições de trabalho.

Pelo que protestam os entregadores?

Os pedidos principais incluem um aumento no valor mínimo da corrida, seguro contra roubo e acidente, e auxílio-pandemia, incluindo não só a distribuição de EPIs (equipamentos de proteção individual), como também licença remunerada em casos de contaminação pelo novo coronavírus.

Além disso, a classe exige um aumento no valor por quilômetro percorrido. Nesse caso, os entregadores esperam que as empresas de aplicativo repassem mais os lucros obtidos nesse período de pandemia. Outra exigência é o fim de sistema pontuação que, em aplicativos como Rappi, impactam significativamente na quantidade de pedidos recebidos e prejudica entregadores que ficam desconectados por muito tempo ou que recusam corridas.

O crescimento do número de desempregados durante a pandemia criou um movimento de migração para serviços de entrega e mobilidade urbana e isso resultou num cenário mais competitivo. Ao todo, são 170 mil entregadores cadastrados em todo o Brasil somente no iFood.

Contudo, segundo o jornal Folha de São Paulo, um estudo da Remir (Rede de Estudos e Monitoramento da Reforma Trabalhista) constatou que 59% dos entregadores faturaram menos nesse período de isolamento social, mesmo que a demanda por entregas tenha aumentado consideravelmente. De acordo com o documento, esse fenômeno aconteceu porque os apps distribuíram mais entregas entre os trabalhadores, mas sem aumentar as taxas.

Cupons de desconto TecMundo:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Categorias


Comentários

Conteúdo disponível somente online
#BrequeDosApps terá nova paralisação de entregadores dia 12 de julho