Microsoft bem que tentou apagar a má impressão deixada pelo Internet Explorer com um navegador completamente remodelado, o Edge, que no seu lançamento só era disponibilizado para os usuários do Windows 10. Como bem sabemos, o browser não vingou muito e agora a companhia tenta encontrar outras alternativas para popularizá-lo — ou pelo menos aumentar um pouco sua base de usuários.

A solução da Gigante de Redmond foi levá-lo ao ambiente de código aberto Chromium, a mesma plataforma utilizada pela Google para desenvolver o Chrome. Com isso, a empresa deve levar o Edge para o macOS e bater de frente com o Safari — o que parece ser uma disputa menos intensa do que com o próprio Chrome, o Firefox e o Opera no Windows.

Além disso, o Edge deve ser oferecido também para quem usa o Windows 7 e o Windows 8 — o que, aliás, deve acontecer antes mesmo da sua presença nos computadores da Apple. A Microsoft pretende desassociar as atualizações do Edge dos updates do Windows, o que agilizaria bastante a chegada de novas versões.

Ainda não há versão em fase beta e uma prévia dos desenvolvedores pode dar as caras no começo de 2019. E aí, animou para usar as próximas encarnações do Edge? Diga aí o que acha disso.