Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas matérias e leia quando quiser.

Imagem de: Boticário usa IA da IBM para criar o 1º perfume desenvolvido por algoritmos
Avatar do autor

Por Claudio Yuge

@clangcomix

1 min de leitura

Boticário usa IA da IBM para criar o 1º perfume desenvolvido por algoritmos

inteligência artificial (IA) tem nos ajudado a chegar a diferentes — e novos — resultados em diversas frentes. Mas até agora, não tinha criado um novo perfume. Eis que a rede de cosméticos paranaense O Boticário conseguiu esse feito, a partir dos algoritmos da IBM Research e da execução dessa fragrância por meio da alemã Symrise, uma das principais fornecedoras da companhia.

IA examinou milhares de fórmulas e ingredientes para identificar padrões e novas combinações

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Queríamos criar um produto direcionado para quem quer aproveitar a vida ao máximo. Algo bem característico da geração millennial — que gosta de se jogar, sem medo de errar, e quer ser livre para fazer suas escolhas — das mais previsíveis às mais inusitadas. E que tivesse tudo a ver com o gosto do consumidor brasileiro, que fosse a melhor combinação para quem é curioso e adora viver novas experiências”, explica o gerente de Perfumaria do Boticário, Jean Bueno.

Esses dados foram então processados pela Phylira, uma IA desenvolvida pela IBM Research que usa o aprendizado de máquina para examinar milhares de fórmulas e ingredientes para identificar padrões e novas combinações. O resultado foram dois novos perfumes, que misturam o cheiro de frutas, flores, doces, especiarias, madeiras e pepino.

boticárioFonte: Revista Exame

Os nomes, embalagens e outras características dessas novidades seguem envoltas sob mistério — uma jogada de marketing para seduzir o público-alvo, que adora teasers e hype em torno dessas iniciativas. A expectativa é de que os produtos sejam lançados em meados de 2019 e não somente cativem esses consumidores como também abram uma nova frente na indústria, já que esse processo pode diminuir o tempo de desenvolvimento e até encontrar fragrâncias nunca experimentadas.

“A perfumaria é uma arte antiga”, lembra o perfumista da Symrise, David Apel. “A última grande explosão de inovação começou no final do século 19 com a introdução de matérias-primas sintéticas de fragrâncias na paleta do perfumista. Essa revolução ainda é a força motriz por trás da maioria dos grandes perfumes de hoje. A inteligência artificial é a próxima fronteira de inovação e descoberta da perfumaria”, acredita.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Categorias

Software Inteligência artificial IBM

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Boticário usa IA da IBM para criar o 1º perfume desenvolvido por algoritmos