Daí você abre browser Edge e usa o Bing nativo em busca do navegador da rival Google e, ao clicar no primeiro resultado, abre uma página muito parecida com a do Chrome. Só que, ao baixar o conteúdo, está recebendo um software malicioso, pronto para deixar sua máquina suscetível a invasões. Bem, é mais ou menos isso que vinha acontecendo com o utilitário da Microsoft.

A denúncia partiu de um usuário, Gabriel Landau, que gravou o episódio em câmera e compartilhou no Twitter.

Em seguida, isso foi destacado pelo pessoal do How to Geek, que, ao fazer testes realizando essa busca, também foi direcionado para links duvidosos. Inclusive, o próprio Chrome bloqueia o mesmo endereço.

buscaFonte: How to Geek

Ao que parece, a Microsoft não vinha filtrando corretamente os malwares embutidos em anúncios. Por isso, os resultados em diferentes computadores eram. Isso indica que essa publicidade tóxica estaria sendo distribuídas de acordo com região.

Erro já vinha acontecendo desde abril e Microsoft se posiciona sobre o assunto

O Bleeping Computer já havia alertado sobre esse problema em abril deste ano. À época, a Microsoft removeu o anúncio, mas agora ele está de volta, de forma idêntica.

Agora, após voltar a ser assunto por aí, a gigante de Redmond voltou a banir essa publicidade e emitiu uma nota oficial a respeito. “Proteger os consumidores de conteúdo malicioso é uma prioridade máxima e removemos esses anúncios do Bing, assim como banimos a conta associada. Encorajamos os usuários a continuar relatando esse tipo de conteúdo para que possamos aplicar as medidas necessárias.”

Ainda assim, a companhia não detalhou como esse tipo de prática não é bloqueada em sua raiz, de maneira proativa, e por que não há um melhor rastreamento automático para deletar essas ofensivas antes que elas causem quaisquer prejuízos.

Cupons de desconto TecMundo: