Não faz tempo, a Bloomberg afirmou que hackers da China alteraram o hardware de diversos produtos para espionar outros países — e até a Apple e seus iPhones estariam comprometidos, apesar da Maçã negar recentemente. Agora, um novo capítulo nessa história indica que placas de rede onboard em placas Supermicro foram comprometidas na linha de produção que foi entregue para uma “grande operadora norte-americana".

Todas as operadoras negaram que foram afetadas

Sem revelar qual grande operadora recebeu as placas “batizadas” por tecnologia de espionagem chinesa, a Bloomberg afirma que a companhia descobriu o caso e removeu os dispositivos afetados em agosto deste ano.

Um porta-voz da AT&T negou que a empresa tenha sido atacada dessa maneira. A Sprint seguiu com o mesmo posicionamento, ao lado de Verizon. A única operadora que não respondeu dentro do tempo entregue pelo veículo foi a T-Mobile.

A Super Micro Computer soltou um posicionamento sobre o caso:  "A segurança de nossos clientes e a integridade de nossos produtos são essenciais para os valores de nossos negócios e de nossa empresa. Temos o cuidado de garantir a integridade de nossos produtos durante todo o processo de fabricação, e a segurança da cadeia de suprimentos é um importante tópico de discussão para nossa indústria. Ainda não temos conhecimento de nenhum componente não autorizado e não fomos informados por nenhum cliente que tais componentes foram encontrados. Ficamos desanimados pelo fato de a Bloomberg nos fornecer apenas informações limitadas, nenhuma documentação e apenas meio dia para responder a essas novas alegações". 

Cupons de desconto TecMundo: