Vine teve um grande sucesso que foi abreviado por seu fim precoce nas mãos de seu dono, o Twitter. Os vídeos de no máximo seis segundos viralizavam conteúdo e reuniram um séquito de fãs fiéis que acabaram se dissipando através de outras plataformas, como o YouTube e o Instagram, mas sem a popularidade charmosa do Vine.

O que deixou os “órfãos” da plataforma mais animados hoje foi um tweet feito por Dom Hofmann, cofundador do Vine. A imagem é simples – um fundo verde com as letras “V2” na fonte clássica do logotipo do serviço que foi encerrado no começo de 2017. Nenhuma outra informação acompanhou a publicação.

Hofmann já havia mencionado que estaria trabalhando em um sucessor do Vine, mas também não deu nenhum outro detalhe além disso. É difícil imaginar se o Vine teria espaço entre as redes sociais em 2018 e se voltaria a ter o sucesso que teve um dia. Outros cofundadores do serviço, Rus Yusupov e Colin Kroll, já experimentam alguma popularidade com seu novo app de trívia chamado HQ.