Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

Na era da nuvem, qual é a importância da memória local?

2 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: Na era da nuvem, qual é a importância da memória local?
Avatar do autor

Por Alex Franco

via nexperts

Programas, jogos e arquivos de mídia, tudo isso evoluiu – e muito – nos últimos anos, e a tendência é que acabem exigindo cada vez mais espaço de armazenamento. Para auxiliar mesmo as pessoas que não apresentam um comportamento de uso constante das máquinas, algumas soluções em nuvem, gratuitas ou pagas, estão disponíveis ao alcance de muitas pessoas, proporcionando arquivamento, organização e distribuição de dados sob demanda entre volumes virtualizados que foram consolidados a partir de diferentes hardwares. Porém, ainda assim é importante contar com espaço local por diversos motivos.

Primeiramente, é necessário entender que, no dia a dia, qualquer usuário acessa instantaneamente diversos arquivos. Por exemplo, uma palestra gravada em 4K não precisa ocupar um espaço de 20 GB do seu HD ou SSD, já que sua execução não depende de troca constante de dados. Se estiver armazenada na nuvem, basta baixá-la uma única vez e manuseá-la da maneira mais apropriada. 

Por outro lado, um jogo online requer conexão estável para funcionar – e, considerando que o GTA 5 ocupa cerca de 65 GB, aqueles 20 GB podem fazer uma baita diferença no carregamento dos cenários.

JogosJogos ocupam um belo espaço em HDs e SSDs. (Fonte: UOL/Reprodução)

Com empresas não é diferente, tanto é que grande parte delas está apostando em infraestruturas híbridas que se valem de armazenamento em nuvem para arquivos menos acessados e processamento físico para aqueles que exigem menor latência, otimizando o tempo de resposta. 

Por isso, a capacidade de memória mesmo em equipamentos pessoais deve ser considerada por qualquer consumidor. Afinal, a experiência será aprimorada inclusive em dias nos quais a conexão apresente falhas – e a produtividade ou o lazer não serão negativamente afetados de maneira irreversível.

Componentes otimizados para uma experiência aprimorada

O funcionamento adequado de um sistema de armazenamento leva em conta outros componentes de qualquer PC ou notebook – e a Acer nos equipamentos Swift 5, por exemplo, implementa PCIe Gen 3x4 de no máximo 512 GB, e RAM LPDDR4 de até 16 GB. 

Isso se traduz em comunicação efetiva com velocidade aprimorada. Além disso, a conexão Wi-Fi é fornecida pela rede de banda dupla Intel WiFi 6, que fornece velocidade de download de 1.7001 Mbps, latência 75% mais baixa e segurança.

AcerDispositivos como os da Acer valorizam a combinação de componentes. (Fonte: Laptopmain/Reprodução)

Dessa maneira, seja utilizando arquivos armazenados na nuvem ou localmente, existe a certeza de que tudo será acessado quando e onde você precisa – sobrando espaço para que você relembre uma aula importante sem ter de desinstalar um jogo de última geração.

Categorias


Comentários

Conteúdo disponível somente online
Na era da nuvem, qual é a importância da memória local?