Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

Xiaomi: sede em Wuhan, na China, começa a retomar as atividades

1 min de leitura
Imagem de: Xiaomi: sede em Wuhan, na China, começa a retomar as atividades
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Por Camilla Cássia da Silva

via nexperts

Xiaomi anunciou, nesta segunda-feira (30), que sua sede de Wuhan, na China, está retomando as operações. A companhia fechou as portas em 20 de janeiro de 2020, após o surto inicial do coronavírus na região. Com isso, mais de 2 mil funcionários entraram em regime de férias emergenciais para prevenir o contágio da covid-19.

Antes do retorno, a Xiaomi informou que todos os colaboradores da unidade foram submetidos a acompanhamento e testes, os quais tiveram resultados negativos. A gigante chinesa ainda destacou a adoção de medidas mais rigorosas de prevenção durante o período de trabalho, como: medição constante de temperatura, uso de máscaras, álcool e desinfetante.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Unidade de Wuhan foi inaugurada no final de dezembro, pouco antes de o coronavírus se espalhar na região e no mundo.Unidade de Wuhan foi inaugurada no final de dezembro, pouco antes de o coronavírus se espalhar na região e no mundo.Fonte:  Gizmochina/Reprodução 

A mudança de planos da companhia veio pouco tempo depois da inauguração da sede, em dezembro de 2019. A cidade Wuhan ficou marcada por apresentar o princípio os primeiros casos da doença, em período próximo a esse.

Para conter seu avanço, o governo chinês decidiu, em janeiro, fechar provisoriamente fronteiras, manter a população em casa e encerrar grande parte das atividades do país. A partir disso, os casos de contágios locais foram reduzidos drasticamente, chegando ao nível zero, na semana passada.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE


Comentários

Conteúdo disponível somente online
Xiaomi: sede em Wuhan, na China, começa a retomar as atividades