Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

Imagem de: 5G no Brasil pode deixar 22 milhões de lares sem TV aberta
Avatar do autor

Por Ramalho Lima

via nexperts

@leowmuller

1 min de leitura

5G no Brasil pode deixar 22 milhões de lares sem TV aberta

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) havia marcado o leilão das faixas de frequência para o 5G para março de 2020. No entanto, desde 2018, o órgão, em conjunto com as operadoras de telefonia, constatou que a nova rede móvel interfere no sinal da TV aberta que é recebido por antenas parabólicas, o que pode adiar o leilão.

Na semana passada, a Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) e a Abratel (Associação Brasileira de Rádio e Televisão) enviaram um documento ao governo federal, propondo uma solução para resolver o problema, que pode afetar 22 milhões de lares, ou 1/3 de todas as residências do Brasil.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Antena parabólica comumente usada na década de 1990. (Fonte: Pixabay)

Uma possível solução

De acordo com as entidades, em conjunto com algumas das grandes emissoras de TV do país, uma alternativa seria migrar o tipo de transmissão via parabólicas para o sistema utilizado por TVs fechadas, o que inclui o uso de outros satélites e a compra de equipamentos de miniparabólicas. Neste caso, a transmissão continuaria sendo gratuita.

Há também a sugestão de que o governo utilize parte da verba arrecada com o leilão para custear os equipamentos para as famílias de baixa renda, principalmente as que estão cadastradas em programas sociais, como o Bolsa Família.

O governo ainda teria de investir massivamente em campanhas para esclarecer o público sobre as mudanças.

Problema social

Para o conselheiro da Anatel, Vicente Bandeira de Aquino Neto, trata-se de um problema social, pois vários dos lares com parabólicas encontram-se em grandes centros urbanos.

Também é necessário lembrar que canais públicos como a TV Senado, TV Escola e a TV Câmara também são transmitidos via parabólicas, que se tornaram muito populares na década de 1990, como uma solução para a baixa qualidade da transmissão da TV aberta brasileira.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Fontes

UOL

Categorias

Mercado Telecomunicações 5G Televisão

Comentários

Conteúdo disponível somente online
5G no Brasil pode deixar 22 milhões de lares sem TV aberta