A área de tecnologia da montadora Ford está testando carros autônomos que usam uma linguagem simples baseada na luz. "Para que o mercado tenha sucesso, é essencial que as pessoas confiem nos veículos autônomos. E desenvolver um meio visual universal de comunicação foi a solução que encontramos para fazer isso acontecer", explica Thorsten Warwel, gerente de iluminação central da Ford Europa. 

Créditos: Ford

Com o objetivo de desenvolver um veículo autônomo para a implantação na América do Norte até 2021, a Ford está trabalhando para garantir que a população confie nesses automóveis. A empresa está colaborando com várias organizações do setor, como a International Organization for Standardization e a Society of Automotive Engineers, e está convocando outras empresas automotivas e de tecnologia para ajudar a desenvolver esse sistema.

Eles equiparam uma van Transit Connect com uma barra de luz no teto com as cores branco, roxo e turquesa, que serviam para indicar se o veículo estava em movimento, parado para permitir a passagem de um pedestre ou prestes a arrancar - o que normalmente é indicado através de atitudes do motorista, com sinais manuais, por exemplo. Os resultados do teste demonstraram um alto nível de confiança, sendo que o turquesa foi a cor mais eficiente, visto que é a que mais se destaca de outras cores utilizadas em veículos normais. 

Diferentemente de outros testes semelhantes, como o realizado pela Jaguar Land Rover que fez experimentos com carros autônomos em uma rua “simulada”, para garantir que os testes fossem os mais realistas e naturais possíveis, a Ford disfarçou um funcionário responsável pelo teste como “assento de carro humano”. Os motoristas foram especialmente treinados para a ocasião, além de contar com um assistente que serviu como backup.

Recentemente, a montadora, em parceria com a Argo AI, tornou-se a primeira empresa a testar veículos autônomos em Washington D.C., com base em testes já em andamento em Detroit, Pittsburgh e Miami. Na China, a Ford faz parte do programa Apollo promovido pela Baidu, a principal operadora de mecanismos de busca da China, e está trabalhando com eles para começar a testar carros autônomos em Pequim e outras cidades chinesas ainda em 2019.