Tudo bem que nem sempre dá para ter o melhor encontro possível a partir de apps ou sites de paqueras. Mas ter que lidar com um comilão que adora pedir o que quer em jantares e depois sai correndo sem pagar, aí já é demais. E mais: o cara ainda tentou roubar e extorquir, entre outros crimes. Foi o que aconteceu com pelo menos sete mulheres nos Estados Unidos.

Homem vinha comendo e saindo de fininho de restaurantes desde 2016, em Los Angeles

De acordo com promotores de Los Angeles, Paul Guadalupe Gonzales, de 45 anos, acumula 10 acusações criminais sobre “vantagem financeira de mulheres que ele conheceu principalmente por meio de aplicativos e sites de namoro”, afirma documento registrado pelos oficiais. Desde 2016, vários meios de comunicação na Califórnia têm narrado as façanhas de Gonzales como o “janta-e-sai-correndo”, um apelido carinhoso criado pela mídia após os relatos das vítimas. Uma delas disse que a noite até estava agradável, mas ficou esquisita quando ele começou a pedir mais de US$ 100 (o equivalente a R$ 413) em comida.

“O cara é muito desagradável. Primeiro, quem pede duas entradas? A desculpa dele é que ele era fisiculturista. Depois, disse que estava indo ao banheiro e voltava logo, mas nunca retornou”, relatou uma mulher, ainda em 2016.

Outras contam situações parecidas. “Quando tinha somente metade de uma batata cozida no prato, ele recebeu um telefonema e disse que precisava atender a ligação. O garçom voltou, disse que ele não estava lá fora e me perguntou se era o meu primeiro encontro com ele. Quando respondi que sim, era um ‘encontro às cegas’, o garçom avisou que ele havia me deixado.”

Gonzales pode pegar até 13 anos de prisão, e fiança tem valor salgado

Oito mulheres tiveram que pagar a conta sozinhas, sendo que uma delas foi convencida de que teria o dinheiro de volta, e em outros dois casos os próprios restaurantes arcaram com as despesas. Em outro incidente, Gonzales também teria cortado o cabelo e saído sem pagar. Todas as queixas criminais envolvem um valor total de US$ 950.

Um mandado de prisão foi expedido pela Procuradoria da Comarca de Los Angeles no dia 3 de julho, com fiança no valor de US$ 315 mil. O réu vai responder por sete casos de extorsão e dois de tentativa de extorsão e mais um por roubo, além de duas contravenções, incluindo furto.

Gonzales se declara inocente, e a audiência preliminar está marcada para o dia 7 de setembro, no Departamento de Justiça de Los Angeles. Caso seja condenado, ele pode pegar até 13 anos de detenção em prisão estadual.