O roubo de iPhones tem diminuído nos últimos anos graças especialmente aos métodos de bloqueio remoto desenvolvidos pela Apple. Graças ao Find My iPhone, usuários podem travar o gadget e evitar que ele tenha utilidade na hora de ser revendido, além de proteger o acesso a dados sensíveis e fotos por ventura armazenados no aparelho

Entretanto, assim como os métodos de proteção evoluem, o crime também avança, e ladrões têm adotado formas mais sofisticadas para tentar superar os obstáculos impostos pela Apple. Um desses métodos consiste na combinação de phishing e ferramentas que automatizam o roubo de dados e o desbloqueio. Ele foi descrito pela companhia de segurança digital TrendMicro, que publiciou um relatório divulgado nesta terça-feira (14).

Pescando dados

De acordo com o documento, a novidade na “indústria do roubo” de iPhones consiste em contatar os donos do aparelho roubado informando que o dispositivo foi localizado. Por email ou SMS, os criminosos pedem, então, que a vítima forneça dados de acesso ao iCloud — e vale lembrar que as mensagens são construídas de forma a passar legitimidade, facilitando a aplicação do golpe.

Quando o usuário fornece nome de usuário e senha do iCloud, programas como o FMI.php coletam os dados automaticamente e os utilizam para obter uma série de informações pessoais, como número de telefone, tamanho da senha, ID, localização GPS e até mesmo se o gadget está bloqueado e se há uma solicitação para destruir todos os dados a caminho.

Crime virtualEsquema detalha os processos do roubo de dados das vítimas.

Negócio rentável

A comercialização de softwares deste tipo se tornou um negócio rentável também pelo nível avançado de roubo alcançado pelo dispositivo. Serviços como esse incluem ainda a possibilidade de apagar o iPhone roubado de uma conta de usuário e até mesmo um sistema que notifica os usuários quando o phishing é completado com sucesso. Tudo de forma automática.

Outros aplicativos vão ainda mais além. O MagicApp é capaz de criar uma localização de GPS falsa para enganar o usuário de que o seu dispositivo foi realmente encontrado. Ele dispõe ainda de 50 templates personalizadas para que o criminoso entre em contato com a vítima e dê um verniz de legitimidade ao golpe.

iPhoneMétodos sofisticados fazem o roubo de iPhone ser rentável outra vez.

Segundo a empresa de segurança, a base de dados desse tipo de problema capaz de desbloquear iPhones roubados se concentra principalmente em países como Itália, França, Espanha, Estados Unidos, Índia, Arábia Saudita, Filipinas e Brasil.

Proteja-se

Para evitar danos maiores em caso de roubo ou perda do seu dispositivo móvel da Apple, a TrendMicro sugere, por exemplo, o uso de autenticação de dois fatores. Com isso, você precisa confirmar todo e qualquer acesso a sua conta com um código único gerado naquele momento e enviado para o seu email, evitando que alguém acesse o seu perfil indevidamente mesmo dispondo das suas credenciais.

Em caso de perda ou roubo do seu smartphone, fique atento aos detalhes de todo e qualquer email para evitar ser vítima de phishing. Prestar atenção em emails não solicitados que pedem para você informar dados sensíveis pode ser essencial para não cair nesse tipo de golpe.