Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

3 smartphones que fracassaram no financiamento coletivo

1 min de leitura
Imagem de: 3 smartphones que fracassaram no financiamento coletivo
Avatar do autor

Por André Luiz Dias Gonçalves

via nexperts

As plataformas de crowdfunding, como Kickstarter e IndieGogo, deram às mentes criativas a oportunidade de expor suas ideias e tentar financiamento para tirá-las do papel. No entanto, nem todos os projetos cadastrados conseguiram o sucesso almejado. 

Vários destes fracassos se deram no segmento dos smartphones, inclusive alguns elaborados por grandes marcas, que acabaram não conquistando o interesse do público por vários motivos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A seguir, vamos relembrar alguns celulares que fracassaram nos sistemas de financiamento coletivo. 

1. ZTE Hawkeye

Desenvolvido com base nas ideias da comunidade de usuários, o ZTE Hawkeye tinha como grande diferencial um sistema de escaneamento da íris. O recurso propunha usar os olhos para mexer no celular, literalmente. Ao olhar para cima, por exemplo, seria possível rolar uma página aberta para cima, enquanto um olhar para baixo rolaria a página nesta direção.

Porém, a marca não se preocupou em investir num hardware robusto, optando por uma configuração básica, o que parece não ter atraído muitos interessados. Com isso, a ZTE arrecadou apenas US$ 32 mil dos US$ 500 mil esperados, encerrando a campanha poucos dias depois de lançada.

2. Ubuntu Edge

A Canonical foi outra marca que se aventurou pelo crowdfunding sem obter o resultado esperado. Em 2013, ela lançou o projeto Ubuntu Edge, um celular bastante avançado para a época, com armazenamento interno de 128 GB e que se transformava em um PC ao ser conectado em um monitor, teclado e mouse.

Mas o mundo parecia não estar preparado para o conceito e a companhia arrecadou cerca de US$ 13 milhões dos US$ 32 milhões necessários para o lançamento.

3. Meizu Zero

A história não foi muito diferente com o celular Meizu Zero. O projeto previa um telefone sem botões e qualquer tipo de entrada. Não havia nem mesmo o tradicional botão power ou o furo para o alto-falante, substituídos por outras tecnologias.

Mas os usuários do IndieGogo parecem não ter visto sentido no aparelho, pois a marca arrecadou apenas US$ 46 mil, menos da metade do que foi solicitado.

Cupons de desconto TecMundo:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Fontes

Categorias


Comentários

Conteúdo disponível somente online
3 smartphones que fracassaram no financiamento coletivo