Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

Review Galaxy S20 Ultra: vai mais longe e mais suave

12 min de leitura
Imagem de: Review Galaxy S20 Ultra: vai mais longe e mais suave
Avatar do autor

Por Wellington Arruda

via nexperts

A Samsung tem colocado o foco dos seus smartphones em fotografia há algum tempo. No Galaxy S9, ela usou o slogan "A câmera reimaginada", e na linha Galaxy S20 eles dizem que "Esse é o smartphone que mudará a história da fotografia".

São três celulares: Galaxy S20S20+ e S20 Ultra. Esse último é o top de linha do top de linha. Ele traz um sistema de câmeras capaz de dar zoom até 100X, tela com alta taxa de atualização e um precinho que vai de R$ 8 mil até R$ 8.500. Na verdade, tudo é bem expressivo nesse aparelho.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Se muita gente já sentia que o Galaxy Note10+ é exagerado, o Galaxy S20 Ultra tem o potencial de elevar um nível a mais essa percepção.

Tela

A tela do Galaxy S20 Ultra é uma das coisas mais bonitas desse smartphone. Com 6,9 polegadas, ela é maior até que a do Galaxy Note10+ (6,8"). É preciso saber duas coisas sobre ela:

  • traz taxa de atualização de 120Hz, que torna a navegação mais fluida
  • a taxa de sensibilidade ao toque é de 240Hz. O mais perceptível, sem dúvidas, é o primeiro.

Uma taxa de atualização maior deixa a navegação e animações mais suaves. Isso funciona muito bem rolando páginas, navegando naturalmente ou abrindo e fechando aplicativos. Os jogos compatíveis, por exemplo, podem ser reproduzidos em 120 FPS, mas a lista não é tão grande atualmente.

Claro, tudo isso também gasta mais energia, embora seja muito perceptível a mudança de 60Hz para 120Hz. Por outro lado, este não é um recurso essencial do celular (embora seja muito legal) e só funciona na resolução FHD+. A resolução máxima do S20 Ultra é a WQHD+ (3200 x 1440 pixels).

A Samsung trouxe a câmera frontal para o centro da tela, como na linha Note10, reduziu a curvatura lateral do painel Edge e manteve as bordas muito finas. O leitor de impressões digitais também está sob essa tela, mas sua área de leitura ainda é limitada. Para os padrões de sensores do tipo, a solução da Samsung funciona de forma rápida, mas não tanto quanto no Galaxy S9, por exemplo.

Por se tratar de uma tela enorme, assistir vídeos, filmes, séries, jogar, editar fotos e mais no S20 Ultra é uma experiência muito confortável. Aqui, temos o mesmo AMOLED Dinâmico com ótima reprodução de cores, brilho forte, tons pretos intensos.

O único potencial incômodo é o modo vívido de cores, que deixa tudo muito saturado. Nos ajustes há como compensar esse ponto manualmente, ou então optar pelo modo natural de cores.

Galaxy S20 Ultra (TecMundo)Galaxy S20 Ultra (TecMundo)

Corpo/construção/design

Tem muita coisa diferente no Galaxy S20 Ultra, mas quem olha reconhece que é um produto da Samsung. Ela manteve o vidro (Gorilla Glass 6) nos dois lados, o metal nas laterais e a proteção contra água e poeira (IP68). O botão para acionar a assistente Bixby e a entrada para fones de 3,5mm (P2), porém, sumiram nesta geração.

Como opção, há um fone USB-C da AKG com ótima qualidade, graves bem nivelados e que cumpre um bom papel. Mas vale lembrar que a Samsung lançou os Galaxy Buds+ com a nova linha S20 e vem apostando alto no mercado de fones de ouvido True Wireless. O celular também conta com som estéreo e tecnologia Dolby Atmos e consegue fazer um barulho consideravelmente positivo.

Mas, não, o S20 Ultra não é um celular pequeno e tampouco leve. Usá-lo com apenas uma das mãos é bem complicado, mesmo com o atalho para reduzir o conteúdo. Mas, mesmo sendo escorregadio e com um módulo gigante para as câmeras, este é um celular muito bonito e robusto.

Os botões agora ficam apenas na lateral direita e ele traz slot híbrido para chips de operadora e cartão microSD no topo do aparelho. Ele também fica cheio de marcas de dedo, mas recomendo usar a capinha que vem na caixa se você por acaso comprar um. É um celular de vários mil reais, não dá pra arriscar.

Desempenho

O desempenho do Galaxy S20 Ultra é ótimo. Ele tem, inclusive, uma função que mantém até três aplicativos sempre abertos em segundo plano. A versão lançada no Brasil traz o chip Exynos 990, da Samsung, e deixa de lado quaisquer reclamações sobre travamentos, atrasos e afins.

Ele é muito rápido para iniciar aplicativos, carregar e transferir arquivos, renderizar fotos e vídeos. Sinceramente, qualquer jogo mais pesado consegue rodar com tranquilidade neste smartphone, bem como outros apps tão exigentes quanto.

São 12 GB de RAM e 128 GB de armazenamento em uma versão e 16 GB de RAM e 512 GB de armazenamento na outra. Ambas aceitam cartão microSD até 1TB. A versão de base realmente poderia ter 256 GB, como na linha Note10. Isso porque o S20 Ultra gera arquivos enormes da câmera e a diferença entre as versões disponíveis é de R$ 500.

Ainda assim, quem procura um smartphone Android com desempenho excelente e que aguenta uma grande quantidade de apps em segundo plano, o S20 Ultra é uma das melhores opções da atualidade. Seja com 12 GB ou 16 GB de RAM.

Aqui vale um aviso: nós testamos a versão compatível com 5G, embora o Galaxy S20 Ultra brasileiro seja compatível com o padrão 4G/LTE. Todas elas trazem Wi-Fi 6, Bluetooth 5.0 e NFC.

Galaxy S20 Ultra (Tecmundo)

Benchmarks

  • AnTuTu: 497.363
  • Geekbench 4: 2.535 (single-core) / 12.137 (multi-core) / 8.585 (Compute)
  • 3DMark: 6.730 (OpenGL ES 3.1) / 6.268 (Vulkan)
  • PC Mark - Work 2.0: 10.427

Software e recursos

Apesar de ser um smartphone enorme, a interface One UI 2.1 é otimizada para facilitar o alcance dos botões. O S20 Ultra vem com Android 10 e um milhão de funções, como o Dual Messenger para usar duas contas em redes sociais, ou o gerenciador de chaves criptografadas e carteiras de criptomoedas 'Samsung Blockchain Keystore'.

Outra novidade importante é o Quick Share, que permite transferir arquivos entre smartphones mais rapidamente via Wi-Fi Direct. Acontece que a função, semelhante ao AirDrop da Apple, só está presente em smartphones e tablets da própria Samsung.

O novo smartphone também traz novos gestos de navegação. Eles são intuitivos e funcionam bem, inclusive quando abrimos a multitarefa. Mas seria legal tocar em qualquer espaço "em branco" pra voltar pra tela inicial, algo que não é possível atualmente.

Temos ainda o modo DeX, que "transforma" o celular em um computador. Em computadores Windows ou Mac, ele pode ser conectado via USB-C para emular a interface de desktop. Em monitores ou TVs, é preciso usar um adaptador que não está incluso na caixa. O recurso funciona bem e permite acessar facilmente os arquivos do smartphone, que não fica inutilizável durante a conexão.

Já a assistente Bixby, que ganhou suporte ao português brasileiro recentemente, entende bem o nosso idioma e realiza funções de forma rápida. Ela ainda não está no mesmo nível de compreensão e funções que o Google Assistente ou até mesmo da Siri, embora esteja muito mais agradável quando é acionada.

Galaxy S20 Ultra (TecMundo)Galaxy S20 Ultra (TecMundo)

Câmeras

A câmera principal do S20 Ultra tem 108 MP, abertura de f/1.8 na lente, foco por detecção de fase (PDAF) e estabilização óptica (OIS); a grande angular tem 12 MP, abertura de f/2.2, campo de visão de 120 graus e é usada no modo superestável; a teleobjetiva tem 48 MP, abertura de f/3.5, PDAF, OIS e zoom óptico híbrido até 10x; e, por fim, temos uma câmera de 0,3 MP Time of Flight (ToF), com abertura de f/1.0, usada como sensor de profundidade. Só pra efeito de comparação, o Galaxy S foi lançado originalmente com uma câmera de 5 MP.

Por padrão, o S20 Ultra combina nove pixels em um para criar uma imagem de 12 MP, mas é possível capturar fotos com 108 MP normalmente. De qualquer modo, as fotos com este smartphone ficam impressionantes. O nível de ruído é baixo, os detalhes ficam bem visíveis e as cores são bem vívidas.

Galaxy S20 Utlra (TecMundo)Galaxy S20 Ultra(Wellington Arruda / TecMundo)

Se você é fotógrafo amador, profissional, ou simplesmente quer ter um celular com ótimas câmeras no bolso, o S20 Ultra é um ótimo companheiro. Tanto que o modo para fotografias noturnas realmente torna um cenário mais visível, mas isso reduz a nitidez e confunde o balanço de branco.

É preciso notar, porém, que fisicamente o sensor do S20 Ultra é maior. Isso permite que mais luz seja captada, mas também altera as áreas de foco. Assim, tudo o que se aproxima demais do sensor fica com um efeito bokeh e o ponto focal é ainda mais específico.

A lente grande angular faz um trabalho bom. Ela não tem tanta nitidez quanto a principal, mas os cantos das imagens não ficam tão distorcidos, as cores são vibrantes e o seu desempenho só começa a cair bastante em cenários noturnos.

Galaxy S20 Ultra TecMundoFoto noturna com o Galaxy S20 Ultra (Wellington Arruda / TecMundo)

No meio disso tudo, o S20 Ultra ainda é capaz de atingir um zoom de até 100x, o Space Zoom. É possível controlar a distância manualmente, mas existem atalhos de 2x, 4x, 5x, 10x, 30x e 100x. O zoom óptico vai até 4x, e depois começa o híbrido.

O zoom de 100x faz imagens bem ruins e sinceramente pouco aproveitáveis. Mas esta é a capacidade máxima. O zoom de 2x, 4x e 5x ficam com qualidade ótima e mantém um alto nível de detalhes e cores fortes. Até 10x os cliques ficam satisfatórios, e até 30x eles perdem bastante qualidade, mas podem ficar bons em lugares bem iluminados. Inclusive, o modo noturno pode ser usado com zoom até 10x.

O Galaxy S20 Ultra é, então, um ótimo celular para fotografias. Atualmente, ele é a aposta mais forte da Samsung neste setor e cumpre um ótimo papel. O problema mais incômodo que encontramos foi no balanço de branco. Em algumas cenas, objetos rosas, por exemplo, ficam amarelados por causa da luz ambiente quando fotografados com o modo automático. Nos modos de 108 MP ou Profissional o balanço é corrigido.

A câmera de selfies também ganhou um belo upgrade. Agora, são 40 MP (f/2.2) com foco PDAF. Ela também tende a deixar objetos (pessoas, no caso) no primeiro plano em destaque, borrando suavemente o que está em segundo plano. Por padrão, as fotos têm quatro pixels em um, formando uma imagem de 10 MP -- embora os 40 MP também possam ser utilizados.

As selfies ficam com cores bem vívidas e realçadas, e o contraste está mais equilibrado em comparação com gerações anteriores da mesma linha. Ainda há um efeito de suavização de pele, mesmo com todas as opções de embelezamento ativadas, criando retoques e reduzindo texturas e detalhes. Isso acontece mesmo com todas as opções de modo de embelezamento ou de inteligência artificial desativadas.

Galaxy S20 Ultra TecMundoSelfie com o Galaxy S20 Ultra (Wellington Arruda / TecMundo)

Vídeos em 8K

O Galaxy S20 Ultra também é capaz de gravar vídeos com resolução 8K (7680 x 4320) limitados a 24 fps. Um vídeo de 5 minutos nesta resolução ocupa uma média de 2,80 GB, mas sempre que o celular atinge 4 GB o vídeo é cortado e um novo arquivo é criado. Ainda é possível optar por um formato de alta eficiência nas configurações (HEVC), mas este não é compatível com todos os dispositivos.

O recurso de gravação em 8K é bem interessante, mas talvez não seja a melhor opção. Em 4K, é possível selecionar a opção de 60 fps para vídeos mais fluidos (também na frontal).

Sem contar que, além de memória, os vídeos em 8K deixam certas áreas mais tremidas e com efeito de rolling shutter (gelatina), além de consumir cerca de 7% a cada 5 minutos de gravação. Ele também reduz o campo de visão na hora de gravar, então o recomendado é estar em locais iluminados e abertos.

Gravar em 8K é algo que justificar a compra do celular? Não, não é. Mas é algo que demonstra a potência deste aparelho. O editor de vídeos nativo da Samsung permite adicionar alguns efeitos, transições, música de fundo e mais, mas aparentemente ainda não suporta a adição de mais de um clipe em 8K no mesmo projeto. A propósito, os vídeos editados no S20 Ultra, mesmo que gravados em 8K, são exportados em 4K.

Bateria

A boa notícia é que o Galaxy S20 Ultra também é exagerado na bateria. São 5.000 mAh que podem ser carregados por completo em cerca de 1h04. O carregador que vem na caixa tem 25W de potência, embora ele seja compatível com carregadores até 45W. O carregamento sem fio também está mais rápido, agora de 15W.

Tempo médio de carregamento:

  • 15 minutos: 32%
  • 30 minutos: 59%
  • 45 minutos: 85%
  • 1 hora: 97%
  • Carga completa: 1h04

Mas, apesar da capacidade, é preciso escolher entre usar o celular com 120Hz por menos tempo, ou com 60Hz por mais tempo. Em uso intenso, o S20 Ultra foi capaz de fazer 7h45 de tela ligada em um único dia com a taxa de atualização padrão. Com a taxa mais alta, a bateria tende a aguentar cerca de 5h30 de tela ligada.

Galaxy S20 Ultra (TecMundo)Galaxy S20 Ultra (TecMundo)

Durante os testes, o smartphone foi normalmente retirado da tomada com 100% de carga entre 8h e 9h da manhã. Ele sempre aguentou até o fim do dia, mesmo sob uso intenso. Isso inclui frequência com apps de streaming (de música e vídeo), jogos, redes sociais, fotografias, gravação de vídeos.

Atualmente, o Galaxy S20 Ultra é um dos melhores celulares desta categoria quando se trata de autonomia de bateria. Tem muita coisa que pode afetar o seu tempo de uso, mas ele tem um belo gerenciamento de energia.

Extras

Existem adicionais importantes no S20 Ultra. Ele também pode, por exemplo, carregar outros dispositivos compatíveis por indução graças ao Wireless PowerShare. Mas os principais extras ainda se concentram nas câmeras. O modo de Foco Dinâmico funciona em vídeos tanto na traseira quanto na frontal, e o 'Superestável' ganhou melhorias.

Ainda em vídeos, a Samsung trouxe um modo profissional para ajustar o ISO, velocidade do obturador, foco, balanço de branco e afins. Outro recurso que temos no S20 Ultra é o microfone com zoom, algo também disponível no iPhone 11 Pro.

Galaxy S20 Ultra (TecMundo)Galaxy S20 Ultra (TecMundo)

Vale a pena?

Estamos lidando com um celular que custa R$ 7.999 (128 GB/12 GB) ou R$ 8.499 (512 GB/16 GB). Apesar dos números elevados que são constantemente repetidos pela Samsung, o Galaxy S20 Ultra entrega ótimas características e é um dos melhores smartphones disponíveis no mercado.

Seu desempenho é ótimo, as câmeras fazem fotos e vídeos excelentes, e sua tela de 120Hz é um adicional muito mais interessante do que o zoom de 100x. Ele não é um celular perfeito e traz, sim, seus defeitos, como um problema de foco que a Samsung já prometeu corrigir.

Para quem pretende ter em mãos o que há de mais recente da Samsung, o S20 Ultra é uma ótima escolha. E, se você decidiu apostar sua grana nesse aparelho, com certeza vai ter uma experiência agradável.

Se você ainda está decidindo qual flagship comprar, o mais recomendado seria apostar em outros modelos tão eficientes quanto, porém menos caros. Os Galaxy Note10+ e Galaxy S10+ continuam sendo ótimas opções, além do iPhone 11 Pro Max, que tecnicamente ainda traz um chip mais potente (A13 Bionic) que o utilizado no S20 Ultra.

Cupons de desconto TecMundo:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Categorias


Comentários

Conteúdo disponível somente online
Review Galaxy S20 Ultra: vai mais longe e mais suave