A Samsung acaba de apresentar em um evento em Nova York, nos EUA, o seu mais novo top de linha: o Galaxy Note 9. O dispositivo traz uma série de pequenas novidades em relação ao atual Note 8, mas o principal destaque é a S Pen renovada.

A caneta desse “phablet” conta agora com bateria própria e Bluetooth LE para que ela funcione como uma espécie de minicontrole remoto. Com ela, você consegue tirar fotos com o celular, controlar apresentações executadas no próprio Note 9 ou mesmo em outros dispositivos que tenham conectividade Bluetooth.

O mais interessante da nova S Pen é que ela se mantém ativa por 30 minutos longe do celular em apenas uma carga. Depois, basta colocar a caneta dentro do Note 9 por meros 30 segundos, e toda a carga estará disponível novamente. A ponta da S Pen também foi melhorada, agora tem mais pontos de sensibilidade.

Câmeras

A Samsung também trouxe melhorias para a câmera de seu dispositivo, apesar de ter mantido exatamente o hardware encontrado nas câmeras do Galaxy S9+. Na frente, temos um sensor de 8 MP e, atrás, um conjunto com duas lentes de 12 MP com aberturas variáveis entre f/1.5 e f/2.4. Uma das câmeras traseiras tem uma lente telefoto, com zoom digital fixado em 2x.

O que há de novo nesse aspecto fotográfico é o uso de inteligência artificial. O aparelho consegue identificar elementos na cena (comida, animais, pessoas, paisagens e mais) e, em seguida, ajustar as configurações de temperatura de cor e outros elementos do app de câmera para que você tire a melhor foto possível com apenas um clique. A ideia da Samsung é que você nunca precise editar suas imagens antes de as compartilhar — e, mesmo assim, que elas sejam bonitas. Apesar de se tratar de algo novo para a coreana, isso já vem sendo implementado em modelos da Huawei e da LG desde 2017.

note 9

Mas o que o Note 9 tem de mais impressionante no departamento da fotografia é a sua capacidade de detectar quando uma imagem vai ficar borrada ou estourada. Antes de você tirar a foto, o celular emite um aviso para que você tente refazê-la em condições melhores. O mesmo vale para quando alguma das pessoas pisca. O aparelho alerta que alguém está com cara de sono, e você não perde a captura.

Produtividade

Além de a S Pen ser um excelente acessório para produtividade, a Samsung está tornando o Note 9 um dispositivo ainda mais versátil nesse aspecto. Antes, para acessar o modo Dex em aparelhos da marca, era necessário comprar um acessório oficial chamado Dex Station. Com o Note 9, só é necessário um adaptador de USB-C para HDMI (somente os feitos pela própria Samsung vão funcionar e custam US$ 50) e conectar o aparelho a um monitor. Demais acessórios podem ser conectados ao dispositivo via Bluetooth, e pronto. Em outras palavras, se tornou mais econômico usar o aparelho em “modo desktop”.

Continuando a questão da produtividade, os recursos de anotação do Note 9 também tiveram algumas melhorias, assim como os apps de desenho artístico. Fora isso, fazer notas com a tela desligada ficou um pouco mais personalizado. Antes, os traços se mantinham sempre em branco no fundo preto, mas agora eles podem ter cor.

Fora isso, como se trata de um aparelho focado nos heavy users da Samsung, a marca resolveu oferecer bastante armazenamento interno. O aparelho chegará ao mercado com duas opções: 128 GB e 512 GB nativos. Vale destacar que não existe versão de 64 GB. Comprando o modelo mais caro e um cartão de memória de mais 512 GB (que a própria Samsung vai lançar em breve), será possível ter até 1 TB de espaço no novo top de linha da coreana.

Outra boa notícia é o aumento da bateria. O aparelho do ano passado tinha 3.300 mAh e, agora, o Note 9 tem 4.000 mAh. A Samsung explica que isso é o suficiente para mantê-lo funcionando o dia inteiro, mesmo sob uso constante do processador.

Quanto ao chipset, a Samsung está apostando — como é de costume — em duas variantes. Alguns países, como Brasil, China e EUA, vão receber o Note 9 rodando com o Snapdragon 845, enquanto os demais mercados globais ficam com Exynos 9810. Haverá opções de 6 GB e 8 GB de RAM, mas ainda não sabemos qual delas estará aqui no Brasil. Confira as demais especificações liberadas até o momento:

Fortnite

É interessante destacar que o Note 9 é o primeiro smartphone Android compatível com o fenômeno dos games, Fortnite. Quem comprar o Note 9 ou um Galaxy Tab S4 ganhará US$ 150 em bônus para gastar no jogo, que já virá instalado de fábrica nesses aparelhos. E para evitar superaquecimento durante longos períodos de jogatina, ele ganhou um novo sistema de resfriamento líquido com fibra de carbono e uma área de dispersão muito maior do que a Samsung já colocou em outros top de linha. A empresa também está oferecendo som estéreo AKG e diz que esses são os melhores e mais poderosos alto-falantes já usados em um Galaxy Note.

Fora esses dois novos modelos, quem tiver qualquer dispositivo das famílias Galaxy S8, S7 e Note 8 poderá baixar Fortnite a partir do Samsung Game Launcher e começar a jogar no Android.

Preço e disponibilidade

Nos EUA, o Note 9 entra em pré-venda a partir de amanhã (10) e estará disponível para compra em lojas de fato a partir do dia 24 de agosto, daqui a duas semanas. Desbloqueado, o aparelho com 128 GB de armazenamento vai custar US$ 999 na terra do tio Sam, o equivalente a R$ 3,8 mil desconsiderando impostos. O modelo de 512 GB, por sua vez, sairá por US$ 1.249,99, ou R$ 4,7 mil.

Ainda não há data de lançamento ou preço para o Brasil, e não sabemos se o nosso mercado receberá a versão com 512 GB de espaço e 8 GB de RAM.