Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

Imagem de: CEO da Black Dragons critica regulamentação de eSports no Senado
Avatar do autor

Por Maximilian Rox

via nexperts

1 min de leitura

CEO da Black Dragons critica regulamentação de eSports no Senado

O Senado Federal recebeu, nessa quinta-feira (7), um encontro da Comissão de Educação idealizado pela senadora Leila Barros (PSB-DF) para discutir a regulamentação dos esportes eletrônicos e o projeto de lei (PLS 383/2017). O encontro contou com a presença de várias personalidades dos games profissionais no Brasil, como Lucas Simon, CEO da equipe INTZ, Alexandre "Kakavel" Peres, CEO da Team oNe, Nicolle "Cherrygumms" Merhy, CEO da Black Dragons, Leo de Biase, CMO da BBL, e João Ricardo Cozak, psicólogo da MIBR.

Uma das falas mais marcantes na ocasião ficou com a representante da equipe Black Dragons. Cherrygumms que se mostrou aberta a discutir sobre a regulamentação com os deputados e presentes. "Gostaria de falar que onde há mais regulamentação, aumenta o preço. E onde aumenta preço, diminui o investimento", abriu ela na oportunidade, como você pode conferir no vídeo logo abaixo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A executiva também tocou o assunto sobre a violência dos jogos eletrônicos e falou da sua própria experiência pessoal, já que alguns deputados federais comentaram sobre restrições aos games que façam "apologia à violência e drogas ou que tenham cunho sexual".

Outros tópicos abordados pelos presentes nessa quinta-feira falaram do impacto positivo do ramo, como a AfroGames e o seu projeto de criar o primeiro centro de esports dentro de uma favela no Rio de Janeiro. A relação do esforço físico dos atletas também foi debatido bem como o aspecto mental e a "dependência" que os games podem ocasionar.

O assunto voltará para a pauta no Senado no próximo dia 21 de novembro.

Cupons de desconto TecMundo:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Categorias

Cultura Geek eSports Política

Comentários

Conteúdo disponível somente online
CEO da Black Dragons critica regulamentação de eSports no Senado