Menu

Explore por temas!

Bookmarks

Salve suas notícias e leia quando quiser.

Assimetria entre os dois lados da Lua é explicada em novo estudo

1 min de leitura
Imagem de: Assimetria entre os dois lados da Lua é explicada em novo estudo
Avatar do autor

Por André Luiz Dias Gonçalves

via nexperts

Em um novo artigo publicado na revista Nature Geoscience, um grupo de pesquisadores afirma ter descoberto os motivos de o lado oculto da Lua ser tão diferente da parte visível a partir da Terra — assunto que já rendeu inúmeras teorias nas últimas décadas.

No estudo, que teve a participação de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Tóquio (Japão), da NASA e das universidades da Flórida, de Towson e do Novo México — todas nos Estados Unidos —, os autores investigaram a história geológica do satélite natural e encontraram uma nova explicação para esse mistério.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Após uma série de experimentos, análises de observações existentes da superfície lunar e modelagem computacional, eles chegaram à conclusão de que as diferenças nas concentrações de elementos radioativos na Lua poderiam explicar a assimetria entre os dois lados do corpo celeste.

O lado oculto da Lua é bem diferente da área visível.O lado oculto da Lua é bem diferente da área visível.Fonte:  NASA/Divulgação 

De acordo com os cientistas, elementos instáveis presentes em maior quantidade nas partes do solo lunar voltadas para a Terra (como tório, potássio e urânio) geram calor por meio de um processo de decomposição radioativa, derretendo as rochas nos locais onde eles ficam. Como resultado disso, o surgimento das crateras, presentes em maior quantidade na parte oculta, é facilitado.

Elementos KREEP

Além do aquecimento causado pela decomposição radioativa dos elementos instáveis, a assimetria entre o lado escuro da Lua e a parte visível também pode ser explicada por uma propriedade das substâncias KREEP, que são o potássio, os metais das terras raras e o fósforo presentes no lado visível.

Conforme apontam os autores do estudo, os locais da superfície lunar ricos dessas substâncias têm pontos de fusão mais baixos, facilitando a transformação das rochas em magma.

Vale lembrar que a face visível tem mais manchas (planícies basálticas) e menos crateras, enquanto a face oculta apresenta uma menor quantidade de manchas escuras e uma crosta mais grossa, com muito mais crateras.

Cupons de desconto TecMundo:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Categorias


Comentários

Conteúdo disponível somente online
Assimetria entre os dois lados da Lua é explicada em novo estudo