Como funciona a Restauração do Sistema?

Voltar ao passado é possível no Windows, mas antes disso, saiba como funciona a Restauração do Sistema

Voltar no tempo é, com certeza, um dos maiores desejos de várias pessoas, principalmente se algo muito importante aconteceu em tempos passados. Infelizmente, a ciência ainda não descobriu uma forma de voltar os ponteiros do relógio, entretanto a informática já sabe como voltar no tempo caso algo aconteça com o seu Windows. Hoje não vamos falar de novas tecnologias ou invenções recém lançadas, mas sim, de uma ferramenta presente em nossas vidas a desde o Windows XP: a Restauração do Sistema.

O que é a Restauração do Sistema?

Para explicar o que significa a restauração do Sistema, vamos recorrer à Wikipedia para explicar o que significa restaurar. Segundo a enciclopédia, restauração é um conjunto de atividades que tem como objetivo restabelecer danos decorrentes do tempo em um bem ou imóvel. Desta maneira, vamos adaptar a definição ao seu computador, para que seja mais fácil compreender o que esta ferramenta faz.

A Restauração do Sistema funciona como uma cabine do tempo, ou seja, ela permite que você volte atrás caso alguma alteração, dano, pane ou falha aconteça no seu computador. De acordo com a Microsoft, a restauração usa um recurso chamado Proteção do Sistema para criar Pontos de Restauração.

Este recurso possibilita a criação automática de Pontos de Restauração e estes, contemplam todos os registros de alterações ou as configurações do seu computador, por exemplo. De forma geral, a Restauração do Sistema funciona como uma máquina fotográfica, já que ela tira uma espécie de foto do seu computador no momento que um Ponto de Restauração é criado.

Como ele volta no tempo?

Como visto anteriormente, a Restauração do Sistema cria Pontos de Restauração para poder voltar no tempo caso algo aconteça ao seu computador. Para entender como o Windows consegue voltar, vamos usar uma analogia. Imagine que você possui uma máquina do tempo e você pode escolher para qual década quer voltar, por exemplo, os anos 70, 60 ou 50.

Imagine agora que cada década dessas corresponde a um Ponto de Restauração do Windows. Sendo assim, se você criar um Ponto de Restauração no dia 15 de março, outro no dia 10, mais um no dia 5 e outro no dia 1°, é possível escolher para qual desses pontos você quer retornar.

O que pode ser recuperado?

A Microsoft é bem clara ao afirmar que a Restauração do Sistema não funciona como um Backup de arquivos, sendo assim, há algumas restrições quanto à permanência ou não de arquivos após realizar uma Restauração. Em linhas gerais, uma Restauração modifica arquivos do sistema, programas instalados, scripts, ou seja, ações que acontecem em segundo plano ou sem que você as perceba.

Já seus arquivos pessoais, como músicas, fotos, textos ou qualquer outra coisa, “sobrevivem” a uma restauração desde que não sejam apagados do computador. A Restauração de Sistema não tem por objetivo funcionar como um programa de Backup, pois o próprio Windows oferece uma ferramenta para isso, desta forma caso você delete algum arquivo pessoal do computador não poderá recuperá-lo através da Restauração.

Por exemplo, se você criou um Ponto de Restauração no domingo e, neste dia você baixou um vídeo através de um programa P2P. Porém, se você precisar restaurar seu Sistema na terça-feira e voltar para o último Ponto de Restauração – no domingo – seu vídeo estará lá, pois ele não faz parte dos arquivos do sistema.

Entretanto, se você baixar um player para assistir ao vídeo no domingo e precisar restaurar o sistema na terça-feira, este aplicativo não estará disponível. Isso acontece porque ele interfere em dados do sistema do seu computador, por isso ele é apagado.

Como se cria um Ponto de Restauração?

Aqui na nossa sessão de artigos temos alguns deles falando sobre a Restauração do Sistema. Como este, não tem por objetivo ensinar a criar um Ponto de Restauração, caso você deseje saber como usar esta ferramenta, acesse o artigo “Criando um ponto de restauração no Windows XP” ou o “Recuperando uma instalação do Windows”.

Criar manualmente x Criação automática

Contudo, você precisa saber que há uma grande diferença entre criar um Ponto de Restauração manualmente e o ponto criado automaticamente pelo Windows. É possível agendar a criação automática de Pontos de Restauração no Windows, porém com esta opção o que é salvo pela ferramenta se restringe às partes mais importantes para uma possível recuperação do seu sistema caso haja alguma falha.

Ao criar manualmente um Ponto de Restauração já é possível “congelar” suas configurações naquele momento e, desta maneira ter tudo – tudo mesmo- salvo caso você precise apelar para a Restauração. Você pode estar se perguntando: “Mas por que esta diferença?”. Isso veremos a seguir.

Limitações da Restauração

Um Ponto de Restauração exige muita memória da sua máquina, desta forma nem todos os computadores suportam a utilização desta ferramenta. De acordo com a Microsoft, não é possível realizar uma Restauração em computadores com menos de 1 GB de espaço livre no HD, pois este processo consome aproximadamente 15% do espaço do disco.

Para não saturar seu HD, a Restauração elimina os pontos mais antigos, portanto pode liberar espaço e não usar todo o seu Disco quando se usa a opção de criação automática. Já quando você cria manualmente um Ponto de Restauração, automaticamente todos os pontos criados anteriormente são apagados, visto que ao usar a opção manual, o tamanho deste ponto é consideravelmente maior que os criados automaticamente.

De volta para o futuro

Agora que você já sabe como voltar ao passado com uma forcinha do Windows, não deixe de passar este conhecimento adiante, afinal com a informação nas mãos podemos ir mais longe e claro, sempre à frente, de olho no futuro. 


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS

REXPOSTA
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO