Governo adiciona financiamento de tablets ao programa Minha Casa Melhor

Famílias de baixa renda que se encaixem nos requisitos vão poder financiar dispositivos touch que custem até R$ 800

(Fonte da imagem: Reprodução/BlueBanana)

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou recentemente a inclusão de novos itens à lista de produtos que podem ser comprados como parte do programa Minha Casa Melhor, voltado para famílias de baixa renda. Entres os acréscimos estão tablets, micro-ondas, móveis para cozinha e estantes ou racks, que deverão ter preço máximo de R$ 800, R$ 350, R$ 600 e R$ 350, respectivamente.

A mudança vem para atender à demanda dos beneficiários do programa e deve entrar em vigor nesta quinta-feira (17). Produtos que já faziam parte da lista também tiveram seu limite de preço aumentado, como máquinas de lavar (que foi de R$ 850 para R$ 1.100), mesas com cadeiras (de R$ 300 para R$ 400) e sofás (de R$ 375 para R$ 600), entre outros.

Participantes do Minha Casa Melhor ainda contam com uma linha de crédito especial operada pela Caixa Econômica Federal, que continua com limite disponibilizado anteriormente, de R$ 5 mil. As condições e os demais benefícios do programa também não tiveram alterações.

Está na moda

Segundo informações da empresa de análise de mercado IDC, o período que vai de abril a junho deste ano concentrou a venda de 1,92 milhão de tablets no Brasil, um aumento de 151% em relação à mesma época de 2012. Dessa forma, esse tipo de dispositivo chegou à segunda posição no ranking brasileiro de vendas de computadores, com 35% do total, perdendo apenas para o notebooks, que dominaram com 38%.

No mesmo período, a maioria das vendas de tablets (55%) foi de aparelhos de baixo custo, com preço de até R$ 500, e o sistema operacional dominante foi o Android, presente em 95% dos dispositivos comercializados. O preço médio desses equipamentos também caiu para R$ 628, o que faz com que a maior parte deles esteja dentro das regras do programa Minha Casa Melhor.

A empresa de análise ainda afirmou que a expectativa de vendas de tablets no mercado brasileiro neste ano foi revisada para cima, subindo de 5,9 milhões a um total de 7,2 milhões de unidades. O número representa um aumento de 120% com relação ao total registrado em 2012.


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO