Um dos principais motivos para que o Galaxy S8 tenha um sensor de impressões digitais em sua parte traseira foi a falta de tempo. Segundo o The Korea Herald, a Samsung pretendia estrear no aparelho uma tecnologia que permitiria fazer a leitura de dados biométricos em qualquer ponto de seu display generoso.

A ideia só foi deixada de lado por enquanto porque tanto a fabricante quanto sua parceira Synaptics não conseguiram finalizar a tecnologia a tempo do lançamento do gadget. “A Samsung despejou recursos na tecnologia da Synaptics no ano passado, mas os resultados foram frustrantes”, afirmou uma fonte anônima.

A Samsung despejou recursos na tecnologia da Synaptics no ano passado, mas os resultados foram frustrantes

“Com a produção iminente, a companhia decidiu na última hora colocar o leitor de impressões digitais na parte traseira”, complementou. A decisão da fabricante parece ter desagradado alguns fãs da marca, que viram na mudança de design uma tentativa de copiar as soluções já empregadas por outras fabricantes.

Analistas da indústria acreditam que essa é a chance da Apple “roubar o show”, caso ela apresente uma solução do tipo junto à nova geração do iPhone. “Ainda é extremamente difícil desenvolver sensores transparentes e componentes para serem usados em um smartphone com tela grande”, afirmou um representante de uma empresa de tecnologia. “Caso essas tecnologias sejam totalmente desenvolvidas, seria um grande passo adiante para a indústria dos smartphones”.