Pensando em levar soluções para um maior número de consumidores, a Samsung apresenta uma família de smartphones bem completa. Ela tem produtos que atendem desde as necessidades básicas daqueles que pretendem economizar até os caprichos de quem tem muito dinheiro e quer praticidade.

Uma das linhas da fabricante coreana que se sobressai é a Galaxy A, que é composta por modelos que se encaixam entre os intermediários e os mais robustos da atualidade. Esses celulares contam com design primoroso e configurações de hardware equilibradas, que prometem performance elevada com preços quase acessíveis.

Um dos mais recentes lançamentos dessa série é o Galaxy A7. Lançado oficialmente no começo do ano, o novo smartphone apresenta mudanças significativas na série e chega como um bom concorrente para o Moto Z Play e outros aparelhos similares. Para nos mostrar um pouco da sua estratégia, a Samsung enviou um exemplar do dispositivo para testes.

Em um primeiro momento, podemos perceber que a Samsung focou em uma tática de levar mais do que uma simples evolução ao usuário. O mais recente modelo tem tela maior, conceitos de design atualizados, recursos práticos para o cotidiano e hardware melhorado para dar um suporte completo para as necessidades do consumidor. Será que ele realmente ultrapassa os adversários?

Especificações

Evolução ou retrocesso em design?

É fácil perceber que o design do Galaxy A7 2017 mudou de forma considerável. O principal motivo para tal revisão no visual se deve à tela, que aumentou de 5,5 polegadas, do modelo 2016, para 5,7 polegadas, no smartphone mais recente.

Com essa adequação, o aparelho cresceu tanto na altura quanto na largura. É um movimento natural do mercado apostar em displays maiores, mas ficamos em dúvida se este realmente foi um passo acertado. O smartphone ficou bem grande, o que deixa a pegada complicada para quem tem mãos pequenas.

Constantemente, a Samsung parece buscar alternativas para o acabamento de seus smartphones. No ano passado, a marca acertou em cheio na composição do Galaxy A7, mas algumas mudanças na mais recente versão nos deixaram um tanto boquiabertos com a nova proposta.

O design repaginado talvez deixe a desejar, principalmente na qualidade. A marca apostou em uma tampa de vidro 3D na traseira com leve curvatura. A Samsung não dá grandes explicações sobre a tecnologia usada nesse "vidro 3D", mas ele se parece muito com plástico ou acrílico.

A superfície reflexiva imita um material de melhor acabamento, mas o visual fica um tanto duvidoso. O vidro 3D deixa o aparelho escorregadio e mais simples, sendo que deve apresentar sinais de desgaste com rapidez. Se você usa o celular o dia todo, a tampa vai gravar suas digitais com facilidade, ainda mais no modelo que testamos, com uma cor similar ao black piano.

Além dessas modificações, a Samsung reposicionou alguns itens, como é o caso do conector de fones de ouvido e também do alto-falante, que saiu da parte de baixo e foi parar na lateral do dispositivo. O sensor de digitais ficou um pouco mais discreto e temos agora o novo conector de dados e energia, compatível com o padrão USB Type-C.

Outro ponto muito positivo desse celular é a proteção contra água e poeira. Com o certificado IP68, o Galaxy A7 2017 aguenta um banho de meia hora em locais com até 1,5 metro de profundidade. Nós realizamos alguns testes e não tivemos qualquer problema, sendo que o aparelho funcionou adequadamente após alguns banhos.

No geral, o visual do Samsung Galaxy A7 2017 é bem chamativo e muito coerente, mas é questionável se todas essas alterações são benéficas, ainda mais se considerarmos que, com o aumento da tela e a mudança de vários componentes, o aparelho ficou mais pesado (com 186 gramas, enquanto seu antecessor tinha 172 gramas).

Tela digna de top de linha

É difícil julgar algumas decisões em um modelo como o Galaxy A7, que não se posiciona como um intermediário, tampouco como um premium. Este é justamente o caso do display desse celular, que apesar de ser um bocado avantajado, se mostra bastante expressivo em seu colorido.

Com tecnologia Super AMOLED e resolução Full HD, esse smartphone entrega uma qualidade de imagem estonteante. A reprodução de cores é muito fiel, graças ao balanço adequado entre contraste e brilho. Os níveis de tons escuros são profundos, sendo que o display pode desligar os pixels pretos, algo que contribui muito para a experiência geral com apps, jogos e vídeos.

Se você está preocupado com a questão da qualidade em decorrência da resolução, que poderia ser um aspecto alarmante dado o tamanho da tela, podemos garantir que não há qualquer inconsistência nesse ponto. O aumento do visor realmente diminui a densidade de pixels, mas de forma alguma prejudica a nitidez dos conteúdos.

Ainda falando em tela, é preciso ressaltar que o aparelho está bem protegido com a Gorilla Glass 4. Essa superfície é bem resistente e não atrapalha de jeito nenhum a a reprodução de imagens ou interação com o produto. O Galaxy A7 2017 responde perfeitamente aos comandos, com precisão incrível. Um acerto em cheio nessa telona!

Um espetáculo em câmeras

Outra evolução pontual do Galaxy A7 2017 está na parte de captura de imagem. A Samsung equipou o aparelho com duas câmeras de altíssima qualidade. Tanto o componente frontal quanto o principal trazem sensores de 16 megapixels. É uma resolução muito boa, considerando que vários concorrentes ainda permanecem nos tradicionais 12 megapixels.

Quanto ao sensor frontal, tal qualidade é algo até inusitado em um smartphone, já que a maioria dos produtos conta com capacidade de até 5 megapixels. Na prática, isso significa que até mesmo as selfies ficam com qualidade muito elevada. Vale notar ainda que a fabricante não fez apenas um bom trabalho na resolução, como também caprichou em outras especificações.

Com abertura de f/1.9, os dois sensores capturam imagens muito claras, mesmo em ambientes escuros ou fotos noturnas. Ficamos satisfeitos com os registros, que exibem um colorido reforçado e nitidez impressionante. O sensor de alta qualidade ainda garante bons resultados mesmo quando o zoom é utilizado. O foco das câmeras é fantástico, sendo possível focar até bem perto dos objetos.

Apesar de avanços consideráveis na captura de imagens, a Samsung deixou de lado as capacidades para vídeos de altíssima qualidade. Quer dizer, a câmera principal produzir mídias em Full HD, o que já é uma boa resolução. Todavia, há muitos concorrentes, até mais baratos, que já fazem vídeos em 4K.

Hardware evoluído

É natural que smartphones apresentem, de um ano para outro, várias melhorias na parte de hardware, uma vez que é preciso acompanhar as exigências de novos apps e games. Nesse sentido, o Galaxy A7 2017 chega com uma proposta muito ousada, em vários sentidos.

Primeiramente, temos a questão de armazenamento, que recebeu um upgrade excelente. A Samsung colocou 32 GB de memória interna, ou seja, o dobro do que tinha no Galaxy A7 2016. É uma mudança que ajuda muito, visto que só o sistema e os apps já ocupam fácil quase 10 GB.

O Galaxy A7 2016 sofria muito com 16 GB de memória, posto que o consumidor ocupava rapidamente o espaço disponível com músicas e fotos. O novo modelo resolve esse problema e ainda traz o tradicional slot para cartão microSD, que ainda suporta chips de até 256 GB.

Além dessa evolução, todo o sistema de processamento do aparelho foi alterado. Com o novo chipset Exynos 7880, a fabricante conseguiu melhorar a performance no sistema e nos aplicativos. O processador de oito núcleos opera com clock de 1,9 GHz, configuração que é aplicada a todos os núcleos, o que garante um desempenho consistente.

A memória RAM do Galaxy A7 2017 ainda permanece em 3 GB, valor que está bem adequado para as exigências do sistema e dos principais softwares. Mesmo que a interface da Samsung consuma muito espaço, essa quantidade de armazenamento é suficiente para dar conta de múltiplos apps simultaneamente.

Os testes de benchmarks mostraram que o aparelho tem muito gás, principalmente com uma memória RAM rápida e o processador que roda com frequência elevada. Confira alguns resultados:

O processador de vídeo é o Mali T830, que esbanja performance nos jogos. Em nossos testes, executamos jogos como Mortal Kombat, Assassin's Creed Pirates e Asphalt Extreme. O funcionamento foi excelente em todos os casos, com raras quedas de desempenho, mas nada que tenha prejucado a experiência.

Benchmarks - Comparativos de performance

Como de costume, nós realizamos uma série de benchmarks para averiguar o desempenho do hardware dos smartphones. Abaixo, nós comentamos sobre três softwares que usamos como principais referenciais de performance: 3D Mark, AnTuTu Benchmark 6 e Vellamo Mobile Benchmark.

3DMark

Considerado um dos principais aplicativos de benchmark para chips gráficos (tanto em computadores quanto em celulares), o 3D Mark verifica as capacidades para renderização de texturas, polígonos, efeitos e filtros que são comumente utilizados em jogos. Para evitar distorções nos resultados, nós rodamos o Ice Storm Unlimited, que verifica a capacidade do chip gráfico independente da resolução.

AnTuTu

É muito complicado averiguar a performance geral de um celular apenas com base na experiência de uso, uma vez que as configurações de hardware atuais entregam resultados similares. Assim, a utilização de um aplicativo especializado é bastante útil. Nós costumamos usar o AnTuTu para esse tipo de tarefa, uma vez que ele testa interface, CPU, GPU, armazenamento e memória RAM.

Vellamo

Em tempos que navegação na web virou a principal atividade de muitos usuários, um benchmark para averiguar as capacidades dos celulares para tal funcionalidade é de suma importância. Para tanto, nós usamos o app Vellamo Mobile Benchmark, que faz dois testes: HTML5 e Metal. O primeiro avalia o desempenho do navegador; o segundo verifica a performance da CPU para gráficos na web.

Bateria, áudio e sensor de digitais

Com o passar do tempo, as fabricantes parecem ter encontrado formas de otimizar o uso da energia, bem como maneiras de prolongar a autonomia do componente energético. No caso do Galaxy A7 2017, a Samsung melhorou a performance ao incluir uma bateria com capacidade de 3.600 mAh, o que, segundo a fabricante, pode durar quase 14 horas de navegação.

Em nossos testes, percebemos que a energia é suficiente para quase dois dias de uso moderado - com navegação WiFi, jogatinas ocasionais e reprodução de vídeos. É claro que tudo depende da forma como você usa o celular, mas com brilho em nível médio, WiFi e uso de mensageiros, a bateria deve durar bastante.

No entanto, quando pegamos pesado para rodar jogos por longas horas e o uso do WiFi constante, a  bateria dura muito menos, chegando a quase 12 horas. Ainda é um valor muito impressionante e só temos elogios para a Samsung nesse ponto. O software do Galaxy A7 é bastante robusto e consegue economizar muita energia com perfis extraordinários.

O sistema de áudio do Galaxy A7 2017 é muito limitado, então não adianta esperar muita coisa. O alto-falante é exagerado nos agudos e o nível de volume não é muito elevado. Os fones de ouvido compensam essas limitações e são bem confortáveis para uso prolongado.

Assim como vários modelos desse segmento, o Galaxy A7 2017 conta com leitor de digitais. Todavia, o componente não foi muito impressionante em nossos testes. Ele é bem rápido, porém nem sempre identifica as digitais com facilidade. Em muitas verificações, ele chegou a exigir o código PIN.

Não bastasse isso, sentimos falta de algumas praticidades e também da possibilidade de usar mais digitais. O Galaxy A7 2017 só permite cadastrar três digitais e não permite bloquear a tela e realizar outros comandos no sensor. Para um modelo bem mais caro, algumas novidades para facilitar o uso cotidiano seriam bem-vindas.

Vale a pena?

No fim das contas, o Galaxy A7 2017 está mais para um top de linha do que para um intermediário. Apesar de algumas mudanças duvidosas, como a escolha de novos materiais e os pequenos ajustes de design, o aparelho ainda chega cheio de boas surpresas, sendo uma ótima opção para quem busca um smartphone completo e com preço acessível — comentaremos mais sobre valor de venda logo abaixo.

O hardware atualizado, o aumento no espaço interno para armazenamento e as câmeras de alta qualidade são os destaques do produto, que nos impressionaram muito nos testes. É claro que o novo Android e algumas praticidades poderiam deixar o produto ainda mais completo, mas, no geral, ele é um modelo bem equilibrado, que deve entregar uma experiência satisfatória.

O preço oficial do Galaxy A7 versão 2017 é de R$ 2.299 — não tem muito o que conversar, esse valor é bem salgado e fica difícil recomendar o aparelho nessas circunstâncias. Todavia, há ofertas perto dos R$ 1,7 mil, que deixam o dispositivo mais acessível. Nesse tipo de promoção, ele fica mais interessante do que modelos na faixa dos R$ 1,5 mil.

O Galaxy A7 2017 é um bom smartphone para quem gosta da interface da Samsung e busca um modelo bem equilibrado, com boa duração de bateria, tela de qualidade excelente e ainda com proteção contra água. Recomendamos o produto!