Como criar um perfil profissional no LinkedIn e que informações inserir?

O que você deve ter em mente na hora de criar uma conta nesta rede social voltada para o mercado profissional.

Logo LinkedIn (Fonte da imagem: LinkedIn)

A internet possui uma série de redes sociais, para públicos e propósitos diferentes. Entre elas, há uma que, embora seja muito conhecida, muitas vezes é utilizada para uma finalidade diferente daquela para a qual foi idealizada. Estamos falando sobre o LinkedIn, a rede social online profissional que foi criada em 2003 e possui abrangência de mais de 200 países.

O LinkedIn é uma rede destinada a mostrar um perfil profissional, não somente para quem está em busca de um novo emprego ou uma recolocação no mercado. Ele também pode servir para encontrar parcerias, investidores, empreendedores para um novo negócio, companhias para as quais você possa prestar consultoria etc.

Diferente de uma rede social como o Facebook, a ideia do LinkedIn não é ser um lugar para você encontrar amigos ou conhecer pessoas novas, compartilhar fotos ou pensamentos pessoais. Trata-se de um local para você adicionar informações de cunho profissional e localizar conexões associadas com a sua carreira ou negócio.

É importante ter em mente que a maneira como você monta o seu perfil no LinkedIn faz toda a diferença na hora de obter bons resultados. Abaixo, preparamos um artigo falando sobre as principais funções dessa rede social, além de identificar algumas boas práticas para o preenchimento dos dados.

Criando a sua conta

O processo de criação da conta requer um registro, como a maioria das redes sociais ou provedores de email presentes na internet. Para começar, acesse este link e preencha o cadastro básico disponibilizado na tela. As primeiras informações a serem adicionadas são o seu nome e sobrenome, email e senha. Ao concluir o preenchimento, clique em “Cadastre-se agora” para dar sequência ao processo.

Primeiro formulário de cadastro

A segunda etapa é voltada para identificar a região na qual você mora e o seu estado empregatício. Ali, você deve preencher o seu país e CEP, além de indicar se está empregado, procurando emprego ou é estudante. Caso selecione a primeira alternativa, serão solicitadas informações adicionais (nome da empresa, cargo e setor).

Segundo formulário de cadastro

Ao concluir o preenchimento, clique em “Criar meu perfil”. Em seguida, será necessário confirmar a criação de conta mediante o acesso do link que é enviado para o email cadastrado. Caso você insira algum dado incorretamente, não se desespere! Ele poderá ser alterado posteriormente.

Logo após criar a conta

O LinkedIn possui uma série de planos de contas. Existem o cadastro básico (que é gratuito) e vários outros pagos, nos quais você pode escolher funções extras (que são limitadas na conta grátis). O ideal é começar pelo modelo-padrão, pois é bom que você conheça melhor a rede antes de optar por investir no perfil montado nela.

Em seguida, ao acessar o perfil montado, você pode observar uma lista de tarefas (na parte superior direita da tela). Esses tópicos não são obrigatórios, mas servem como um guia para você não se esquecer de inserir dados importantes. Lembrando, novamente, que tudo pode ser modificado depois.

Preenchimento dos dados

Ao contrário da maioria das redes sociais, o LinkedIn funciona como um currículo. Por isso, vale a pena dedicar um pouco de tempo para o preenchimento dos dados. Quanto mais precisas forem as informações, mais valorizado será o seu perfil. Não se esqueça de que são profissionais (e possíveis empregadores) que estarão avaliando o conteúdo.

Conexões

Logo após confirmar a sua conta, são sugeridos alguns contatos que você pode conhecer para adicionar ao seu perfil. Sempre é bom manter em mente que o LinkedIn é uma rede social profissional, então os exageros devem ser evitados. Não é recomendado, por exemplo, adicionar uma série de estranhos somente com o objetivo de aumentar o seu número de contatos.

Conexões do perfil

O ideal é que integrem a sua rede colegas de trabalho, universidade, profissionais com os quais você já trabalhou etc. Você também pode procurar executivos de empresas pelos quais tenha interesse, porém é necessária uma boa abordagem para motivá-los a aceitar o seu convite de conexão. Lembre-se de que você deve parecer um profissional interessante, afinal, é isso que vai contar na hora da pessoa considerar adicioná-lo.

Instituições de ensino

Esta é uma informação importante, pois o seu grau acadêmico pode ajudá-lo a conquistar oportunidades melhores. Um detalhe essencial é não exagerar no conteúdo: coloque as graduações em universidades, pós-graduações, mestrados e doutorados. Evite cursos de universidade que não foram concluídos (e que você não pretende retomar).

É muito importante informar a graduação correta além da instituição

Da mesma maneira, não é preciso colocar a escola na qual você concluiu o ensino fundamental — ou o médio — caso você já esteja cursando uma universidade.

Dados profissionais

As informações de cunho profissional, sem sombra de dúvidas, são as mais importantes em um perfil do LinkedIn. O preenchimento delas deve ser feito com bastante atenção e de maneira sucinta: coloque o nome da empresa, data de entrada e saída (ou marque como o emprego atual) e uma breve descrição das suas atividades ou conquistas.

É muito importante não “escrever um livro” sobre cada lugar no qual você trabalhou. Mantenha-se objetivo e organizado! Assim, as suas informações serão mais fáceis de ler e interpretar, além de não se tornarem cansativas para o leitor. Seria mais ou menos como se você estivesse adicionando tais dados ao seu currículo.

Descrição de atividades

Seja honesto nas informações e tenha em mente que você pode descrever serviços de consultoria, freelancers, aulas particulares etc. As informações são listadas da mais recente para a mais antiga.

Idiomas

Esta também é uma parte importante, considerando que as relações internacionais são comuns em grandes empresas (não só em multinacionais). Da mesma maneira, algumas profissões podem exigir o conhecimento de uma língua estrangeira para pesquisa de conteúdo ou aprendizado (pois o material de estudo pode estar em outro idioma).

Falar mais de um idioma, atualmente, não é um luxo, mas sim uma necessidade. Não se esqueça de adicioná-los e enriquecer o seu perfil profissional no LinkedIn.

Competências e especialidades

Aqui é necessário tomar cuidado. As competências e especialidades seriam áreas ou tarefas com as quais você tem mais afinidade, de certa maneira. No LinkedIn elas são representadas por palavras-chave (em inglês) que podem ser adicionadas para “resumir” as atividades nas quais você possui destaque.

O cuidado necessário é para não abrir demais o leque de especializações, pois isso poderia fazer com que o seu perfil fique poluído ou conte com informações irrelevantes. Por exemplo, se você é programador, vale a pena destacar as linguagens de programação nas quais você possui domínio, mas é exagero colocar todas aquelas que você estudou desde o primeiro ano da faculdade.

Cuidado para não exagerar nos dados

Nas competências, você pode destacar a fluência em algum idioma, mas é desnecessário adicionar uma língua estrangeira na qual você possui apenas conhecimentos básicos.

Cursos

A parte de “cursos livres” serve para você adicionar toda a experiência adquirida em cursos de curta e média duração (que não fazem parte de graduações, mestrados etc). É sempre interessante inserir os cursos que tenham a ver com a área na qual você trabalha (ou quer trabalhar), pois eles podem ser diferenciais aos olhos de um futuro empregador.

Inserindo cursos

Os cursos também podem deixar claro o seu interesse em ingressar em uma nova área do mercado de trabalho.

Projetos

Encare a parte de projetos como o seu portfólio pessoal. Se você possui um material que possa ilustrar o seu trabalho ou enriquecer o seu currículo profissional, não tenha a menor vergonha em adicioná-lo a esse setor no LinkedIn.

Resumo

O resumo funciona como uma carta de apresentação. Aqui, você precisa se concentrar em palavras-chave que definam a sua carreira, objetivos profissionais e personalidade. O texto deve ser conciso e claro – evite o excesso de informações e detalhes, pois, como o próprio nome sugere, trata-se de um resumo.

Informações pessoais e de contato

Assim como em um currículo normal, as informações pessoais são importantes para o seu perfil. Uma boa fotografia é essencial para você ter destaque na rede. Claro que você não precisa colocar uma foto no estilo da sua identidade (séria, com o cabelo para trás da orelha e em preto e branco), mas tome cuidado ao escolher a imagem a ser adicionada.

Cuidado ao escolher a foto

Procure uma fotografia com fundo simples, evite recortes de imagens com mais pessoas. Ela deve ser centrada no seu rosto e um sorriso pode ajudá-lo com as primeiras impressões. Além disso, você pode conectar o seu perfil do Twitter e websites que façam parte da sua experiência profissional (uma página para a qual você fez o design, por exemplo).

Outra prática importante é manter o seu nome completo (evitando apelidos). Os dados de contato oferecem uma forma alternativa ao email para quem quiser contactar você.

Recomendações

Depois de montar o seu perfil e estabelecer algumas conexões, você pode solicitar recomendações de ex-chefes, colegas de trabalho ou pessoas que possuam conhecimento das suas habilidades profissionais. Uma boa recomendação pode ajudá-lo a ser visto de maneira mais favorável quando o seu perfil estiver em análise.

Da mesma forma, seja cooperativo e faça recomendações para os seus colegas de profissão e de trabalho. Afinal, assim como você gostaria que eles passassem boas impressões a seu respeito, eles também adorariam ter indicações sobre suas capacidades.

Consideração importante

Agora que você montou o seu perfil profissional no LinkedIn, lembre-se sempre de atualizá-lo. Manter os seus dados em dia pode ajudá-lo a obter melhores resultados.


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO