Mito ou Verdade: você foi o usuário de número 1.000.000!

Aprenda a identificar fraudes em emails de propostas irrecusáveis.

Como podemos ver nos noticiários, muitos são os casos de pessoas enganadas por truques bastante velhos, os quais visam somente tirar dinheiro dos enganados. Mas não é somente por truques velhos feitos pessoalmente que as pessoas são enganadas, muito pelo contrário, muitas delas andam caindo em golpes bastante tecnológicos. É isso mesmo, como você já devia saber antes de ler este artigo, existem pessoas que enganam as outras com propagandas incríveis via email.

A causa

Você, usuário, como ser pensante e humano como a maioria de nós, certamente já deve ter percebido que dificilmente algo vem de graça em nossas vidas e que precisamos batalhar arduamente para conseguir determinadas coisas: a casa própria, um carro novo, etc.

Tais criminosos possuem uma perspectiva de lucro fácil através dessas fraudes, portanto, eles fazem o possível para conseguir enganar trabalhadores ingênuos (os quais acham da internet um território mágico, onde não existe o mau). Mas um usuário atento sempre saberá, no mínimo, suspeitar de promoções incríveis.

Emails deste jeito não são enviados

Suspeite até da sua sombra

Uma loja ou pessoa de quem você nunca ouviu falar não vai mandar um email para que você vá a determinado lugar buscar o prêmio e muito menos pedirá o envio de uma quantia em dinheiro ou o número do seu cartão de crédito para possibilitar a retirada. Nada é de graça.

Pode ter certeza: você não foi o usuário de número 1.000.000! Talvez isso funcione em lojas de departamento dos Estados Unidos, com bexigas caindo do teto e tudo o mais, mas no mundo virtual isso não funciona assim. O mesmo vale para mensagens de textos recebidas via celular. É um perigo! Você não tem como ter certeza de quem a enviou e se for buscar o tal “prêmio”, provavelmente acabará à base de pão e água em um cativeiro escuro e úmido.

Você também não ganhou um celular ou carro, a Microsoft não vai lhe dar dinheiro por clicar em um link, o MSN não vai acabar, a Receita Federal (ou bancos) não precisa da sua atualização cadastral (via email), as “fotos da festa de ontem” não são fotos (principalmente se você não foi à festa alguma) e a celebridade mais famosa do momento não está “afim” de você.

Como se prevenir

Geralmente, logo pelo assunto você já é possível matar a charada: frases muito chamativas, como “promoção imperdível”, “você é o ganhador” e uma lista enorme de qualidades do produto, são um grande indício disso.

Imagens em baixa qualidade (estranhamente escuras, com cores “quadradas” e bordas erradas), erros na ortografia e conversa fiada (o texto dá voltas nunca chegando ao ponto ou oferece informações vagas) também são uma forte fonte de desconfiança. Por exemplo: você vê um email cheio de imagens “ruins”, texto com erros gramaticais (concordância / ortografia) e que possui 30 páginas de pura enrolação. Emails com conteúdo mais “sexual” então, nem se fala. Farsa na certa.

Há ainda um tipo de email que convence o usuário a clicar em algum link por parecer confiável, devido a um texto bem escrito. Porém, antes de clicar em algum link você deve ver para onde ele direciona. Confira a figura abaixo, nela você poderá ver um típico caso no qual o criminoso virtual conta com a desatenção da vítima.

Anexo?

Repare: ao mover o mouse por cima do link é possível ver que a foto não é um anexo, como dito no email, mas sim um link para algum arquivo ou local bastante suspeito. Alguém distraído certamente clicaria achando ser o link um anexo.

Mas mesmo os mais atentos podem deixar passar um tipo de link: aquele que troca apenas uma letra do domínio original, dando a entender que tal endereço pertence a determinado site. Por exemplo, ao passar o mouse por cima do link aparece uma URL enorme, na qual o início possui algo como “www.googlo.com”, ou “www.google.net”, ao invés de “www.google.com”. Em tal caso, a intenção maléfica do email fica clara, todavia nem todos prestam a devida atenção no que clicam.

Para se aprofundar mais no assunto, confira os seguintes artigos:

O que se deve avaliar antes de baixar um software ou clicar em qualquer link?
O que são bots e botnets?
Spam, phishing e outras fraudes? Aprenda a se livrar destes perigos!
Dicas para identificar janelas fraudulentas nas páginas da web.
Extensões de arquivos perigosas: conheça mais e não caia em armadilhas
Evite cair em fraudes ao comprar pela internet
Mouse ao alto! Isso é um assalto!
Comprei um computador, mas o que fazer para protegê-lo?

Com a leitura deste e dos artigos citados acima, você certamente não cairá mais tão facilmente em farsas virtuais!


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO