A LG começou a renovar sua linha de intermediários para 2017, e o primeiro aparelho dessa leva que chega ao Brasil é o LG K10 Novo ou K10 (2017). Como o nome sugere, esse dispositivo é a segunda geração do modelo do ano passado e traz uma série de melhorias interessantes, especialmente no design.

O celular deste ano é de fato bonito, ao passo que o de 2016 dividia opiniões. A mim, o K10 original nunca agradou esteticamente, assim como todos os aparelhos da linha K da coreana lançados no ano passado. Contudo, em 2017, essa família parece ter muito potencial, ainda mais se todos seguirem mais ou menos o mesmo estilo desse novo K10.

O celular deste ano é de fato bonito, ao passo que o de 2016 dividia opiniões

Por ser um aparelho recém-lançado, esse smartphone intermediário ainda está com aquele preço inicial um tanto alto, o que prejudica um pouco o processo de comparação. Os dispositivos concorrentes, que ficam na mesma categoria do K10, estão praticamente há um ano no mercado e também na iminência de se tornarem obsoletos. Isso porque a Lenovo vai começar a vender o Moto G5 em breve no Brasil, e a Samsung deve renovar o atual Galaxy J7 a qualquer momento.

O Moto G4 e o Galaxy J7 atuais são os principais concorrentes do K10 hoje, mas existem aparelhos superiores, uns intermediários mais avançados, que estão flutuando na mesma faixa de preço do celular da LG. Nesse caso, como a marca coreana espera convencer os consumidores a comprarem seu produto em vez de algo melhor? Confira esta análise e veja como o K10 se sai nessa situação.

Mais estiloso do que nunca

Voltando à questão do design, o K10 Novo realmente melhorou muito de aparência. Agora ele tem esse corpo com bordas bem arredondadas. Isso começa nas extremidades do vidro frontal, passa pela moldura do celular e termina na tampa traseira. Assim, o dispositivo oferece uma boa pegada e se torna bem confortável de utilizar. Como ele não é feito de metal fosco, não desliza das suas mãos com facilidade. Por isso, ele também é bastante seguro.

O dispositivo oferece uma boa pegada e se torna bem confortável de utilizar

No que tange à aparência, houve uma boa evolução. O K10 de 2017 não lembra em momento algum o K10 anterior, o que, em minha opinião, é algo positivo. O novo celular ficou bem mais elegante e se tornou algo que as pessoas podem realmente gostar de usar. Isso porque a LG teve bastante cuidado com detalhes e conseguiu oferecer um smartphone visualmente agradável.

O detalhe que começa na parte de baixo e vai afinando até o topo da moldura é um bom exemplo, bem como a textura meio “escovada” da tampa traseira. O único ponto que me incomodou na questão do design desse smartphone foi o posicionamento dos botões físicos na carcaça. A LG resolveu tirar as teclas de volume da traseira, mas deixou a de energia lá atrás. Não bastasse essa separação ser um tanto estranha, os botões de volume ficaram muito rentes à carcaça, um pouco difíceis de apertar. Isso ainda deve piorar se você usar alguma capa nesse aparelho.

Desempenho em par com a concorrência

No ano passado, a LG conseguiu oferecer um intermediário mais barato do que praticamente todos os concorrentes de grandes marcas por ter entregado apenas 1 GB de RAM, enquanto toda a categoria já tinha superado essa marca e se ajustado aos 2 GB ou 1,5 GB. Isso criou uma fama de “pior aparelho da categoria” para o K10 antigo, mas a coreana não apenas corrigiu o problema em 2017, como também fez seu smartphone ultrapassar os competidores atuais em outro aspecto: armazenamento interno.

Enquanto todos os demais concorrentes da mesma faixa de preço, e até alguns modelos mais caros, possuem apenas 16 GB de armazenamento nativo, o K10 Novo tem 32 GB. Eu acredito que esse é na verdade o mínimo aceitável para uma pessoa que usa seu smartphone para algo a mais do que simplesmente mandar mensagens via WhatsApp.

Isso porque, dos 16 GB, praticamente metade vai para o sistema operacional, e você acaba sem espaço para jogos ou apps úteis. Dessa forma, é preciso se contentar com o mínimo, o essencial, e isso praticamente acaba com o propósito de um smartphone.

Seja como for, as demais especificações do hardware interno do K10 seguem mais ou menos a mesma linha que se vê nos concorrentes. Assim, ele tem um desempenho similar ao registrado no Moto G4, da Lenovo, no MÜV Pro, da Quantum, e também no Galaxy J7, da Samsung.

Em nossos testes de benchmark, entretanto, ele sempre ficou atrás do celular da Lenovo, e foi possível perceber essa diferença no uso diário entre os dois aparelhos. O Moto G4 é mais responsivo e consegue lidar melhor com aplicações mais pesadas. Vale ressaltar que essa diferença é pequena e provavelmente se deve à interface mais limpa e leve do Moto G4, que é a original do Android.

Seja como for, conseguimos rodar Sky Dancer com poucos problemas de lag, mas Uncharted simplesmente não funciona nesse celular. Ele trava logo na primeira fase e você não consegue mais movimentar o personagem. Ou seja, o K10 2017 não consegue dar conta de títulos pesados, apenas os mais básicos e os intermediários.

A questão dos números

Para a realização desta análise, o LG K10 Novo foi submetido a três aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 6 e Vellamo Mobile Benchmark (HTML5 e Metal).

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 6 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Tela fraquinha

Talvez o ponto mais negativo do K10 deste ano frente aos concorrentes atuais seja a qualidade do seu display. Ele não é exatamente terrível, mas está bem aquém dos demais. Eu entendo que, para fazer um smartphone nessa faixa de preço, a LG precisou se esforçar para economizar em alguns pontos, mas a questão da tela chega a ficar bem visível para o usuário.

Colocando o K10 frente a frente com um Moto G4 ou mesmo com um J7, é possível notar a diferença. A tela do celular da LG não apenas tem uma resolução inferior, mas também pena na reprodução das cores. Para um aparelho de baixo custo, isso não é incomum, mas os concorrentes meio que fazem o K10 ficar mal na fita nesse ponto.

Cores vivas ficam meio desbotadas e tudo é meio claro demais nesse display. Você certamente não vai conseguir assistir a algum vídeo por muito tempo aqui ou ficar lendo algum texto. É de fato desconfortável.

Uma boa câmera para o dia a dia

O conjunto de câmeras do K10 deste ano é bom para a categoria. A qualidade das imagens está longe de ser maravilhosa, pois estamos lidando aqui com smartphones intermediários em uma faixa de preço baixa. Contudo, em comparação com os concorrentes, as fotos do novo K10 são interessantes sim.

O sensor do K10 não consegue lidar muito bem com contrastes

Elas normalmente saem mais saturadas que as fotos feitas com o Moto G4, por exemplo, mas eu fiquei com a impressão de que elas frequentemente também estão mais claras, com mais luz representada. Em contrapartida, a reprodução das cores no Moto G4 é bem mais natural, sendo que o sensor do K10 não consegue lidar muito bem com contrastes, especialmente nessa piscina de bolinhas que você vê na galeria, na qual os tons estão bem mais intensos do que realmente são.

Fazer fotos noturnas ou com pouca luz também não é o forte do K10 Novo. Com flash, as imagens ficam muito chapadas e brilhosas e, sem ele, há muito ruído e granulação nas imagens. Infelizmente isso acontece em qualquer câmera de intermediário nessa faixa de preço também.

A câmera de selfies tem uma lente com ângulo de 120°, o que permite a você capturar mais gente na mesma imagem. Ao fazer isso, entretanto, você corre o risco de ter seu rosto ou outras partes do corpo deformadas, quase como se você estive lidando com uma GoPro.

Ainda assim, o app de câmera da LG permite que você escolha fazer fotos com essa abertura extrema oferecida pela lente ou usar um recorte mais centralizado, eliminando boa parte da distorção. No geral, a câmera de selfies não é terrível, mas ela também não faz um trabalho tão bom a ponto de incentivar você a usá-la com frequência. Por fim, vale notar que o app de câmera é bem rápido e conta com vários recursos extras.

Interface melhorando aos poucos

A interface deste ano da LG melhorou um pouco em design e também ficou mais ágil. Ela incorporou um pouco da simplicidade plana do Material Design, da Google, mas isso não quer dizer que o sistema está mais parecido com o Android Puro. Pelo contrário. A LG parece estar se distanciando cada vez mais, reorganizando a tela de configurações em categorias pouco úteis e eliminando a gaveta de apps.

Com isso, os usuários são obrigados a organizar suas telas iniciais em pastas, algo pouco prático e que pode gerar estranhamento em quem nunca usou uma versão do Android sem a tal gaveta.

Mesmo assim, não podemos deixar de dizer que a marca implementou uma série de recursos úteis, como uma boa quantidade de atalhos na área de notificações e as funções ligar e desbloquear a tela com toques no display apagado.

O ponto mais positivo do software desse aparelho é o fato de ele vir com o Android 7.0 Nougat. Diferente da Samsung, que ainda tem lançado aparelhos com a versão 6.0 do Robô, a LG está fazendo um esforço para trazer as funcionalidades mais recentes do Android para seus usuários, bem como correções de segurança importantes.

Um dia longe da tomada

É possível passar o dia inteiro longe das tomadas com o LG K10 Novo, mas você precisa considerar que essa estimativa é para uso moderado. Se você gravar muitos vídeos ou ficar jogando no celular, ele não vai aguentar até o momento que você chega em casa. Caso você não seja um power user, é possível chegar com 30% de carga ao fim do dia.

Contudo, se você trabalha o dia todo e estuda à noite ou acaba indo para algum happy hour, por exemplo, é bom levar consigo um power bank. Em nosso teste de bateria, o K10 conseguiu reproduzir apenas 4 horas e 10 minutos de vídeo contínuo via YouTube com WiFi ligado e brilho da tela no máximo.

Isso quer dizer que, para uso mais intenso, a autonomia do celular não é tão boa. Uma boa marca para essa categoria seria pelo menos 5 horas nessas condições.

Extras

Os fones de ouvido que acompanham o LG K10 Novo são bem simples e não possuem uma boa qualidade de som. Além disso, o fio não é longo e os fones escapam muito facilmente das orelhas. Portanto, se você está considerando comprar esse modelo, é melhor dar uma procurada em um fone mais interessante. O som que sai do alto-falante também não é bom e fica distorcido quando você aumenta o volume.

Por outro lado, o celular tem Rádio FM com a possibilidade de gravar a programação. Essa função pode não ser importante para alguns, mas muita gente que busca um celular básico gosta de ter o recurso.

Vale a pena?

O LG K10 Novo acabou de chegar ao mercado e, considerando que estamos falando de um lançamento, o preço até que não está tão ruim. Hoje, ele custa algo em torno de R$ 1,1 mil e R$ 1,2 mil. Em questão de hardware, desempenho e funções, ele é um concorrente direto para o Galaxy J7, Moto G4 e Quantum MÜV Pro, mas ele não se destaca muito desses modelos, mesmo sendo consideravelmente mais novo.

Isso é um problema porque o K10 Novo é mais caro que esses aparelhos e não parece ter nenhuma vantagem importante na comparação, a não ser o design. Não podemos esquecer também que ele tem o dobro de armazenamento interno, o que normalmente deixa dispositivos um pouco mais caros.

Samsung e Motorola devem começar a vender as novas gerações dos seus intermediários de baixo custo já nas próximas semanas

Ainda assim, Samsung e Motorola/Lenovo devem começar a vender as novas gerações dos seus intermediários de baixo custo já nas próximas semanas. Com isso, os verdadeiros concorrentes do celular da LG vão aparecer e, como ele não está conseguindo dar conta nem dos modelos de 2016, eu não tenho boas expectativas para como ele vai enfrentar os concorrentes de 2017.

Para completar, intermediários um pouco superiores, como Moto G4 Plus e Galaxy J7 Prime, estão exatamente na mesma faixa de preço do K10 Novo e oferecem mais desempenho, melhores câmeras e também leitores de digitais, coisa que o K10 infelizmente não possui.

Dessa forma, por conta dessa confusão toda, nós não recomendamos que você compre nenhum intermediário dessa faixa dos mil reais por enquanto. Os novos lançamentos estão chegando, trazendo mais funções e melhorias em design e desempenho, e você talvez prefira um desses novos modelos. Se eles não lhe interessarem, é bom esperar que apareçam no mercado para que os preços dos intermediários atuais caiam.

Mas, da forma como está o mercado hoje, o K10 Novo não vale a pena. Ele está na faixa de preço de celulares que são melhores, o que torna praticamente ilógico considerá-lo na hora da compra nessa categoria. Contudo, em algum tempo, com um preço menor, por volta dos R$ 900, ele vai sim deixar Moto G4, Galaxy J7 e outros modelos para trás, especialmente por ter o dobro de armazenamento.

***

Perguntas dos leitores

Não. Esse modelo vem apenas com rádio FM.

Esse modelo aqui, o K10 Novo, é o intermediário da linha K10. Há uma versão mais básica, mas com bateria bem melhor. O terceiro K10 é a versão Pro, que possui leitor de digitais e caneta stylus, além de desempenho melhor. A LG é conhecida por lançar muitos aparelhos e esperar conquistar cada nicho de consumidor.

Esse aparelho não serve para games pesados. Nós tentamos jogar Uncharted e o jogo fica travado já na primeira fase. Sky Dancer até que funciona, mas dá umas travadinhas aqui e ali. Modern Combat 5 não rodou.

Não, O K10 Novo não tem LED de notificações. Sobre os múltiplos usuários, procurei nas configurações e não encontrei nada do tipo, o que é estranho, já que essa é uma função nativa do Android. A LG aparentemente a removeu.

Não, Marcos. O botão home deste smartphone é completamente virtual. Ele aparece na tela, e você toca como se faria em qualquer outro ícone. O botão power, na traseira, por outro lado, é totalmente mecânico.