PC ou video game: qual custa mais caro para jogar no Brasil?

Colocamos os valores de hardware e jogos na ponta do lápis para ver qual plataforma é mais compensadora.

(Fonte da imagem: Divulgação/Gamer Zicon)

Não é raro encontrarmos debates entre gamers de PCs e de consoles, alegando que uma ou outra plataforma tem mais vantagens. Geralmente, as discussões são sobre jogos e gráficos, mas, de vez em quando, alguém comenta sobre as diferenças de preços.

Realmente, não é preciso pesquisar para saber que os consoles custam menos. O principal argumento, no entanto, dos gamers que apostam no PC é que o preço baixo na compra de um video game é contrabalanceado com os valores elevados dos jogos.

Levando isso em conta, resolvemos pesquisar para definir qual sai mais barato. Se você ainda não tem um video game ou se pretende comprar um PC gamer, vale acompanhar nossas contas para ver o quanto você vai gastar nas suas brincadeiras.

Fazendo continhas de matemática

Bom, a primeira coisa que devemos colocar em pauta é o valor de cada plataforma. Abaixo, a configuração do computador gamer:

(Fonte da imagem: Divulgação/EVGA)

Para efeitos de comparação, vamos pegar os consoles com maior espaço de armazenamento, mas sem periféricos adicionais:

*Todos os preços listados são aproximados.

Os kits do Xbox 360 e do PS3 são preparados para a jogatina, ou seja, você não precisa comprar mais nada — além da TV, equipamento de som e outros acessórios. O computador, em questão, é um modelo de alta capacidade que pode perdurar por seis anos (tempo médio de uma geração de consoles).

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Smart Feeling)

É bom observar que um PC de configuração mais modesta (com Intel Core i5 e uma GTX 670) também seria suficiente para rodar os jogos atuais — e ele custaria aproximadamente 3 mil reais. Contudo, uma máquina como essa pode necessitar de atualizações de hardware ao longo dos anos para obter resultados satisfatórios.

Hora de comprar jogos

Quando PS3 e Xbox 360 chegaram ao Brasil, os games em mídia física custavam cerca de 200 reais. Em promoções, ainda era possível obter os títulos com 20 ou 30 reais de desconto. Era uma época em que não havia muitas lojas confiáveis, o que inviabilizava a compra em locais mais baratos.

Hoje, os jogos para consoles estão na média de 150 reais e podem ser encontrados por 120 quando comprados em pré-venda ou em promoções. São valores elevados, que impedem a compra de muitos títulos por ano.

(Fonte da imagem: Baixaki Jogos/Tecmundo)

Considerando um jogador com boas condições financeiras, talvez a compra de 12 games (1 por mês) seja uma média aceitável. Se levarmos em conta o preço de 150 reais (que é mais ou menos o preço dos títulos para Xbox 360) de cada jogo, o consumidor gastaria 1.800 reais por ano. Note que não incluímos cópias digitais, DLCs e títulos com acessórios especiais.

Os jogos para computadores sempre foram mais baratos. As mídias físicas para PC quase sempre tiveram preço de lançamento estabelecido em torno de 100 reais. Atualmente, o preço oscila próximo disso, com pequenas variações para baixo. Usando 90 reais como referência, podemos concluir que, ao comprar 12 jogos em um ano, você gasta 1.080 reais.

Nessa comparação básica, o computador sai na vantagem garantindo uma economia de aproximadamente 720 reais por ano.

Outra opção é o digital

Na tentativa de vender mais, as companhias criaram lojas online. Sony, Microsoft e Valve (que administra o Steam) realizam promoções para incentivar a venda de grandes títulos aos gamers que não pretendem comprar jogos em mídias físicas.

A grande sacada desse negócio, no entanto, é que os preços não têm muitas diferenças no lançamento dos games — ótimo para as companhias e lojas que faturam muito com a venda de jogos em disco. A PlayStation Network (PSN) americana, por exemplo, vende games digitais pelo mesmo preço dos que são ofertados em DVD e BD (cerca de 60 dólares).

(Fonte da imagem: Baixaki Jogos/Tecmundo)

A PSN e a LIVE brasileiras, que são as lojas que importam em nosso artigo, conseguem até deixar os jogos mais caros. Muitos games são ofertados por R$ 199, sendo que alguns podem ser obtidos por R$ 149. Nota-se que a ideia da coisa é apenas garantir a obtenção imediata do jogo e não beneficiar diretamente o jogador.

O Steam não é muito diferente, mantendo os preços dos games digitais quase idênticos aos dos produtos que são ofertados em mídia física. A grande vantagem, contudo, é que, no caso da loja brasileira, a Valve conseguiu baratear o custo dos games. Os jogos que antes custavam 60 dólares (120 reais) agora passam a custar 100 reais. Alguns chegam até por menos, mas há casos raros em que o valor extrapola esse limite.

(Fonte da imagem: Baixaki Jogos/Tecmundo)

Novamente, supondo que um jogador compre 12 lançamentos digitais por ano, ele conseguirá economizar quase 800 reais no PC.

A questão dos jogos antigos

Lançamentos são ótimos para quem deseja jogar um título muito esperado antes dos outros, mas quem busca economizar geralmente opta por games mais antigos. Os jogos de catálogo em mídias físicas podem custar até menos da metade dos mais recentes. Confira os valores que encontramos em nossas pesquisas:

(Fonte da imagem: Baixaki Jogos/Tecmundo)

Lá fora, Xbox LIVE e PSN se equivalem em muitas promoções. Até maio, a grande vantagem da Sony era os “jogos gratuitos” (eles já foram pagos quando você assinou o serviço) para os assinantes da Plus. Recentemente, a Microsoft entrou na dança ofertando dois games gratuitos por mês para os jogadores com perfil Gold.

Conforme você pode ver na tabela abaixo, no Brasil, a Xbox LIVE tem uma leve vantagem nos preços. Entretanto, a situação se inverte em alguns casos e tais valores podem variar muito de acordo com promoções temporárias.

(Fonte da imagem: Baixaki Jogos/Tecmundo)

Apesar de competitivos, nenhuma loja online dos consoles supera o Steam. A loja da Valve no Brasil até supera os excelentes preços dos jogos que são lançados lá fora. De acordo com nossa amostragem, os jogos de catálogo no Steam saem por menos da metade do preço dos que estão disponíveis na PlayStation Network e na Xbox LIVE.

A economia ao longo dos anos

Normalmente, os consoles atuais são programados para durar cinco ou seis anos. Em nosso exemplo, vamos pensar em seis anos e na média de compra de 6 lançamentos anuais e 10 jogos antigos.

A compra de 6 lançamentos (em mídia física) no Xbox 360 dá um total de R$ 910. Enquanto isso, a aquisição de 10 jogos de catálogo na LIVE custa mais R$ 1.340. Somando tudo, temos um gasto de R$ 2.250 reais — note que não estamos usando preços promocionais da Xbox LIVE Gold. Pensando em longo prazo (multiplicando isso por 6), você gastará R$ 13.500.

No caso do PS3, o valor de 6 discos Blu-ray sobe para R$ 960 e a compra dos jogos na PSN resulta em um gasto de R$ 1.430 reais. Isso dá um total de 2.390 — também não contamos com as ofertas e jogos gratuitos da Plus. O custo total ao longo de seis anos é de R$ 14.340.

Adotando a mesma lógica para o PC: a compra de 6 lançamentos em DVD custa R$ 540 e os 10 jogos de catálogo no Steam saem por R$ 640. A soma dos produtos dá R$ 1.180 reais por ano. No fim da geração, você terá gasto R$ 7.080.

Isso quer dizer que, em nossa situação hipotética, no console, você terá gasto praticamente o dobro do que no PC. Ao somar o valor dos jogos com o do hardware (seja o video game ou o computador), percebemos que, nesse tempo, você terá gasto muito menos no computador. Veja como ficou nossa equação:

Uma nova geração vem aí

É importante notar que estamos no fim de uma geração de consoles. No fim do ano, Xbox One e PlayStation 4 chegarão para oferecer novos títulos e definir um novo padrão de qualidade gráfica — muito semelhante à dos mais belos jogos para computador. Até o momento não sabemos muitos detalhes, mas temos uma noção dos preços. Recapitulando:

Acrescentando os novos consoles:

*Todos os valores são aproximados. O preço do PS4 é apenas um palpite, levando em conta o custo do aparelho concorrente.

Bom, quanto aos novos video games, é válido falar dos preços dos títulos que chegarão. Conforme as notícias publicadas até agora, podemos ter a certeza de que os modelos de vendas — da Sony e da Microsoft — e os respectivos preços para jogos de lançamento e de catálogo devem permanecer na média apresentada neste artigo.

Outros pontos a serem considerados

Uma questão importante a se pensar é que o PC não é idêntico aos atuais consoles. Mesmo tendo muito poder, um computador não pode executar os jogos dos video games — algo que está diretamente relacionado à diferença de arquitetura. Os títulos para PC, geralmente, saem depois porque precisam de adaptações. Às vezes, a versão fica melhor, mas isso não é uma regra.

Outro detalhe que podemos pensar é a qualidade. Nesses seis anos de jogatina, no computador, você poderá rodar todos os jogos com gráficos em alta qualidade e na resolução Full HD. Os games nos atuais consoles acabam rodando com visuais mais pobres e, salvo raras exceções, apenas em 720p.

Além disso, vale considerar que o computador tem múltiplas utilidades. Uma máquina desse porte pode ser utilizada para navegar, digitar documentos, editar fotos, editar vídeos, trabalhar com renderização em 3D, armazenar muitos jogos e tudo mais o que você pensar.

Poderíamos colocar em pauta que o console leva a vantagem da facilidade — basta ligar e jogar. Nesse ponto, é bom notar que os PCs contam com sistemas muito mais complexos, o que resulta em tempos prolongados de carregamento — às vezes, a diferença é atenuada com o uso de SSDs. No fundo, demora alguns segundos (ou minutos) para começar a jogar.

É possível pensar ainda do conforto. Normalmente, os gamers que optam por consoles apontam que o console permite desfrutar dos jogos no conforto do sofá. Aqui, é bom apontar que os PCs também aceitam gamepads, volantes e outros controles. A experiência também não é tão diferente, ainda mais se contarmos com a interface do Steam Big Picture.

(Fonte da imagem: Baixaki Jogos/Tecmundo)

É bom notar que nem chegamos a colocar preços de jogos promocionais no Steam que, às vezes, chegam a 90% de desconto. Além disso, se pensarmos que o computador ainda tem outras lojas (Nuuvem, Origin, Microsoft, GOG e outras), e bundles de games independentes, dá para se ter uma ideia de que os preços vão muito para baixo.

Moral da história

Não adianta, para quem tem grana e pensa em comprar muitos jogos, o PC é a plataforma ideal. Um computador ainda é interessante por conta da versatilidade (tanto das funções quanto do hardware). Se você pensar na diferença total — que pode passar de 3 mil reais — no fim da conta, é perfeitamente possível fazer a máquina perdurar por mais alguns anos.

É claro que tudo é muito relativo, afinal, você pode pegar promoções e usar a Plus ou a LIVE Gold — que oferecem jogos gratuitos. Devemos considerar ainda que alguns jogos são emprestados, outros ganhamos e assim por diante. As variáveis são muitas e você pode ser feliz gastando muito menos nos consoles.

No fim, você poderá se divertir de forma igual no PC ou no video game e cabe a cada um decidir qual plataforma é a mais atraente levando em conta os jogos exclusivos e outros recursos que sejam de gostos pessoais. Qual é sua plataforma favorita? Você gasta muito com jogos?

Via BJ


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO