Com o avanço e o desenvolvimento de diversos dispositivos de realidade virtual, é de se esperar que veremos o lançamento de câmeras em 360 graus para gravar as imagens necessárias para a imersão nesses aparelhos. O Facebook é uma das empresas que mais trabalham em prol da realidade virtual e vem lançando novos produtos baseados nessa tecnologia.

No segundo dia da F8 – a conferência de desenvolvedores do Facebook –, Mike Schroepfer, CTO da empresa, apresentou duas câmeras circulares capazes de registrar imagens imersivas em todos os lados e sentidos. Uma delas possui nada menos que 24 câmeras espalhadas pela circunferência e a outra, mais simples, possui 6 lentes.

Seis graus de liberdade

A criação desses vídeos é um grande desafio para desenvolvedores de conteúdo VR e cada empresa tem tentado abordar o problema de uma maneira diferente

Os protótipos das câmeras usam o sistema FLIR juntamente com a arquitetura própria desenvolvida pelo Facebook, e o design apresentado vai ser licenciado pela empresa de Mark Zuckerberg para companhias que tenham interesse em fabricá-las em maior escala. As câmeras possuem capacidade para filmar no que chamam de “six degrees of freedom”, ou seja, em seis graus de liberdade.

Isso permite que as imagens sejam capturadas mais livremente e com muito menos trabalho, resultando em registros muito mais realistas e naturais, sem emendas que acabam estragando a experiência do usuário imerso na realidade virtual. A criação desses vídeos é um grande desafio para desenvolvedores de conteúdo VR e cada empresa tem tentado abordar o problema de uma maneira diferente.

Mark Zuckerberg na F8

Facilitando a produção de conteúdo

Pesquisadores da Adobe, inclusive, afirmaram: “Infelizmente, capturar vídeos completos em 360 graus em seis graus de liberdade requer configurações de hardware mais complexas, como arrays de câmeras ou câmeras de light-field que não são acessíveis e fáceis de usar para usuários inexperientes”.

Parte do que estamos fazendo com o ecossistema, e com a câmera em si, é dar essas ferramentas a criadores de conteúdo

Além de tentar suprir essa falta, o Facebook compreende os benefícios de capturar informações em vídeo dessa maneira, pois elas se tornam muito mais fáceis de serem manipuladas sem afetar a qualidade da imagem, dando uma riqueza muito maior para o conteúdo dos dispositivos de realidade virtual.

Brian Cabral, diretor de engenharia do Facebook, mostrou que a empresa realmente quer dar espaço para profissionais menos experientes especificamente: “Parte do que estamos fazendo com o ecossistema, e com a câmera em si, é dar essas ferramentas a criadores de conteúdo para que eles possam começar a desenvolver essa linguagem artística”. E, aparentemente, o usuário final só tem a ganhar com isso.