Cientistas usam impressora comum para imprimir células

Modificação em uma deskjet convencional permite criar buracos temporários nas células para introdução de novas moléculas.

Cientistas imprimem células usando impressora convencional modificada. (Fonte da imagem: Reprodução/Jove)

Pesquisadores da Clemson University, nos Estados Unidos, apresentaram um jeito bem diferente de introduzir novas moléculas em uma célula. Eles usaram uma impressora convencional modificada para criar pequenas fissuras nos materiais microscópicos e, dessa forma, introduzir ali novas informações.

Os cientistas esvaziaram um cartucho de tinta normal de uma HP Deskjet 500, como os que você encontra a venda em papelarias, e o preencheram com uma solução mista de células e um material fluorescente — a combinação recebeu o nome de “biotinta”. Depois de tudo pronto, foi usado um processador de texto convencional para solicitar a impressão nas células presentes em uma lâmina.

O estudo completo foi publicado no Journal of Visualized Experiments, onde também há um vídeo demonstrando toda a técnica inusitada.


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS

REXPOSTA
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO