Por que celular pré-pago pode ser melhor do que pós-pago

Entenda como usar de maneira consciente o seu aparelho para não se surpreender com a conta no final do mês.

Existem mais celulares ativos no Brasil do que habitantes. Dados divulgados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) no mês de julho deste ano informam que atualmente existem 217,3 milhões de telefones móveis ativos no país, quantidade maior até mesmo do que o número de habitantes.

Presentes no bolso da maioria dos brasileiros, os aparelhos da atualidade se tornaram muito mais do que meros telefones. O envio de mensagens e a possibilidade de acesso à internet fez com que os smartphones passassem a constar como item de necessidade básica para a maioria dos cidadãos.

Contudo, diferente do que acontecia no início da implantação da concorrência no setor de telefonia, hoje é possível falar muito e acessar tudo o que você deseja sem que, para isso, seja necessário pagar mensalidades altas ou mesmo contratar serviços secundários que terão pouca serventia para o consumidor.

O Tecmundo foi pesquisar como está o mercado de telefonia, em especial no que se refere ao preço dos serviços praticados pelas operadoras de celular. Será que os planos pós-pagos ainda são mais atrativos do que os planos pré-pagos ou vale a pena continuar colocando crédito em seu celular para controlar o consumo?


O que avaliamos

Para analisar as condições ofertadas pelas operadoras, montamos as nossas tabelas da seguinte forma. Na primeira, sobre os planos pré-pagos, listamos os valores individuais para cada tipo de serviço dentro do plano de tarifas mais acessível possível. Quando não havia um disponível na categoria, optamos pelo valor de tabela praticado pela operadora.

Os custos de ligação podem variar de estado para estado e, para manter uma padronização, optamos pelos valores praticados no Paraná, onde está localizada a sede do Tecmundo. Já nos planos pós-pagos, devido às inúmeras possibilidades de compor pacotes personalizados em cada uma das empresas, seguimos opções que contemplavam ligações, cerca de 100 torpedos e acesso à internet.

Em nenhum dos planos, escolhemos aqueles em que os aparelhos estão inclusos, de forma que a tabela é apenas referencial para o consumidor. Independente da sua escolha, a dica é sempre pesquisar e confirmar as tarifas antes de efetivar a contratação de um plano.

Escolher um plano pré-pago é a melhor opção?

A resposta para essa pergunta depende muito do seu perfil de usuário. Se você é daqueles que pouco utiliza o aparelho para fazer ligações e acredita que uma quota de 100 torpedos durante um mês é mais do que o suficiente, certamente terá um gasto menor optando por um plano pré-pago.

A melhor maneira de compreender isso é fazendo uma simulação. Suponha que você utilize 60 minutos de ligação por mês, 60 torpedos e queira checar informações na internet todos os dias. Em uma operadora como a Tim, por exemplo, dificilmente o custo excederia os R$ 60 por mês.

Já na Claro, na Vivo ou na Oi, ainda que o custo seja ligeiramente mais elevado, o consumidor disciplinado e que siga a média de uso citada acima, dificilmente gastará mais de R$ 80 reais para ter acesso a todos esses serviços.

Benefícios nem sempre úteis

Aqueles que optarem por planos pós-pagos, em geral, recebem diversos benefícios como ligações mais baratas, pacotes de minutos e até acesso ilimitado a alguns serviços. Contudo, é importante ficar de olho para ver se o benefício recebido será, de fato, útil.

Por exemplo, se você praticamente não utiliza torpedos, de nada adianta contratar um plano que tem como principal diferencial o uso ilimitado de SMS. As mensagens vão acabar sobrando todos os meses e, no final das contas, você estará pagando mais caro pelo que realmente necessita.

Outro benefício bastante comum é o vínculo do plano com a troca de aparelhos. Se você acaba de adquirir um aparelho de ponta e não tem como perfil a troca constante a cada novo modelo lançado, acumular pontos para trocar por um novo smartphone pode acabar não sendo um bom investimento em longo prazo, uma vez que você estará pagando mensalmente o aparelho que irá adquirir “com desconto” algum tempo depois.

Da mesma forma, se você não pretende trocar de aparelho antes de pelo menos um ano, é bem mais interessante apostar em outros diferenciais, como um plano de dados de maior capacidade ou mais minutos para conversação e, com o dinheiro economizado, adquirir um novo smartphone apenas quando julgar necessário.

Pesquise sempre

Uma das maiores vantagens de o consumidor poder contar com diversas operadoras é o fato de poder pesquisar livremente e encontrar pacotes de ofertas personalizados capazes de atender, praticamente, todas as necessidades.

Por isso, não há como afirmar que uma alternativa é melhor do que a outra sem levar em consideração o seu perfil. Embora os sites das empresas tragam informações detalhadas, algumas promoções extras, em especial as vinculadas a aparelhos, podem ser mais bem descritas caso você esteja em uma loja, diante do vendedor.

Ofertas de ocasião também são bastante comuns por parte das operadoras, de forma que adquirir um aparelho ou um plano próximo a datas comerciais – como Natal, Dia dos Pais ou Dia das Mães – costuma ser a garantia de encontrar condições melhores de compra.

Entretanto, a dica mais importante de todas é a de visitar todas as operadoras antes de fechar negócio. Afinal, embora hoje seja mais tranquilo para mudar o seu número de uma operadora para outra, a fidelidade de uso de uma determinada companhia também pode render bons descontos no futuro.


RECOMENDAMOS PARA VOCÊ


RELACIONADOS
COMENTÁRIOS
NOVAS
TOPO DA PÁGINAVER SITE COMPLETO