A Alienware é uma das marcas mais queridas dos gamers. Já faz um bom tempo que ela apresenta soluções inovadoras em laptops para jogos, com configurações de hardware de ponta, design de outro mundo e tecnologias surpreendentes.

Agora, com representatividade oficial no Brasil, a fabricante ganhou ainda mais relevância, uma vez que traz seus lançamentos anuais para a nossa alegria. No ano passado, nós testamos o modelo de 15 polegadas e gostamos muito da proposta da marca.

Em 2017, a Alienware reforça que continua na ponta da inovação, com modelos cada vez mais robustos. Como de costume, a fabricante mantém sua parceria conosco, e agora temos o prazer de apresentar o novo Alienware 17 R4 em um review completo.

Esse modelo chega para dar uma investida forte contra a concorrência aqui no Brasil. O Alienware 17 R4 traz uma configuração muito completa, com direito a processador Intel Core i7, uma placa de vídeo monstra da NVIDIA — a versão de entrada tem a GTX 1060 —, bastante memória RAM e armazenamento de altíssima velocidade.

Parte da estratégia da marca, a personalização das peças continua sendo possível e muito relevante para o consumidor que busca ainda mais desempenho. É possível alterar placa de vídeo, processador, armazenamento, memória e outros tantos itens. O produto que recebemos inclusive já veio com uma atualização considerável. Será que essa máquina tem o poder de que você precisa para os jogos?

Especificações

Design robusto e funcional

Nossas análises de laptops geralmente são iniciadas por um parecer completo sobre o visual do produto, uma vez que este é um importante aspecto para o consumidor. Quando falamos de modelos para gamers, o design tem papel ainda mais importante, uma vez que incrementos nesse sentido podem resultar em uma máquina ainda mais bonita e robusta.

O design do Alienware 17 R4 é muito chamativo. Com retas bem marcantes, diferentes materiais em vários segmentos e muitos espaços para respiro, a Alienware inova nas característivas visuais e se diferencia de alguns concorrentes que preferem designs mais genéricos.

A mescla de tons escuros com um cinza predominante na tampa chama muita atenção. A opção por pequenos segmentos com bordas em angulações diferentes evita um design totalmente retangular. Há várias áreas posicionadas de forma estratégica que garantem muito espaço para o hardware interno, ao mesmo tempo que entregam uma composição externa inédita.

Olhando de longe, esta máquina parece uma espaçonave, algo bem coerente para a proposta. A tampa traz o icônico alienígena e algumas linhas em um layout bastante adequado. O ícone principal na tampa brilha com luzes de fundo, algo que pode ser personalizado de acordo com o gosto do usuário.

Nas laterais da tampa, barras de luzes deixam o visual ainda mais ousado. Importante notar que não estamos tratando de um sistema de iluminação simples. Muito pelo contrário: os componentes luminosos ficam bem escondidos e garantem brilho uniforme.

As conexões e as saídas de ar na parte de trás ficam em posição estratégica, uma ótima ideia inclusive para evitar o superaquecimento do teclado e da parte a que o jogador tem acesso durante a jogatina. São duas saídas de ar, que garantem a refrigeração total do chip de vídeo.

As laterais do Alienware 17 são bem grossas, algo que se deve ao hardware interno, que necessita de muito espaço. Nas duas laterais, em regiões perto da tela, a Alienware instalou mais áreas de respiro, que ajudam a resfriar ainda mais o notebook, que ainda concentra muito calor em seu interior por conta do processador. Aqui também há barras luminosas para deixar o visual do seu jeito.

Ao abrir a tampa, nos deparamos com um design muito coerente com o conjunto. A parte interna é bem espaçosa, com direito a área reservada para teclado numérico e teclas de macro. O teclado com botões de alta qualidade é bem confortável — e claro que vem com luzes RGB.

O touchpad grande é excelente para o sistema, mas não serve para jogatina. Ele conta com dois botões  grandes, que são resistentes e não devem apresentar problemas mesmo com o uso constante do produto. Vale mencionar que é possível personalizar a cor de fundo do touchpad.

O logotipo da Alienware abaixo da tela fica em evidência e também conta com retroiluminação do tipo RGB. Todas essas cores podem ser alteradas no software próprio da Alienware, com perfis que deixam o notebook bem exclusivo. As cores ficam maravilhosas com o acabamento em tons escuros.

É claro que uma máquina desse porte chama atenção, mas a proposta também é um tanto contraditória. Afinal, é um notebook gamer de quase 4 quilos e meio, então é difícil carregá-lo na mochila.

Novidades no display seriam bem-vindas

É claro que um notebook gamer precisa de uma tela muito boa para deixar a jogatina confortável. Nesse ponto, este Alienware é show, já que o display de 17,3 polegadas tem ótimo tamanho.

A resolução Full HD é a configuração padrão e nós acreditamos que seja satisfatória para a maioria dos jogadores. No entanto, a fabricante oferece opção para consumidores exigentes. Com um pequeno investimento, é possível atualizar o laptop com uma tela de resolução 4K.

O display do Alienware 17 R4 é muito bom, com um balanço legal de brilho e contraste. Todavia, nós não ficamos muito satisfeitos com a taxa de atualização.

Programada para rodar em 60 hertz, ela já não corresponde à experiência de um modelo gamer, uma vez que a placa de vídeo pode facilmente ultrapassar os 60 fps e gerar alguns inconvenientes visuais. Assim, nós achamos que seria muito melhor uma tela com 120 hertz e tecnologia G-Sync.

Performance top!

Bem, mas chega de papo e vamos falar do que você quer saber: desempenho. O Alienware 17 que recebemos para testes veio com Intel Core i7-6820HK, um chip de quatro núcleos e oito threads que trabalham com clock de 2,7 GHz.

Em jogos e tarefas pesadas, esta CPU pode subir a frequência para os 3,6 GHz, o que garante muito poder para quem é exigente. Uma coisa legal é que este i7 tem TDP configurável de nível baixo, o que significa que ele consome pouca energia quando está rodando tarefas leves.

Para acompanhar esse processador monstro, temos 16 GB de memória RAM do tipo DDR4. Os módulos funcionam com clock de 2.667 MHz, uma quantidade muito boa para rodar qualquer jogo e atividades mais pesadas, como renderização de vídeos.

A máquina que testamos ainda tinha SSD de 256 GB, componente preparado para operar sobre o barramento PCI-Express, o que permite taxas de transferência de dados ainda maiores. Na prática, este Alienware carrega o sistema e os apps em poucos segundos. Como o SSD tem pouco espaço, ainda existe um HD de 1 TB para guardar mais jogos e arquivos maiores.

O combo fica completo com a poderosa GeForce GTX 1070, que vem equipada com 8 GB de memória GDDR5 dedicada. O chip gráfico é o mesmo usado em placas para desktop, ou seja, é uma potência absurda para rodar os games tranquilamente.

Benchmarks

Batman: Arkham Knight

O mais recente jogo da franquia do Homem-Morcego abusa do poder do chip gráfico, colocando o componente de vídeo sob grande estresse e testando a máquina com vários filtros e efeitos. O game do Homem-Morcego roda suave em placas mais simples, então é óbvio que a GTX 1070 do Alienware não teria problemas com ele. Confira os resultados:

Ghost Recon: Wildlands

O jogo Ghost Recon: Wildlands aproveita várias tecnologias gráficas recentes e texturas de alta definição para entregar resultados impressionantes. O game é muito exigente e desafia até placas como a recente GTX 1080 Ti, então um teste dele em um notebook é bem ousado.

Middle Earth: Shadow of Mordor

Apesar de já ser um tanto ultrapassado, o game baseado na série Senhor dos Anéis ainda se mostra bastante adequado para testes com placas de vídeo. Ele conta com uma grande quantidade de elementos em cenário e pode representar um bom desafio em alguns momentos para os processadores gráficos.

Rise of the Tomb Raider

O mais recente jogo da franquia Tomb Raider já está um tanto datado, mas nós resolvemos fazer alguns testes com a GTX 1070 do Alienware nele, uma vez que testamos o game em outros modelos similares, o que permite uma comparação direta. Vale notar que este título apresenta visuais estonteantes e já utiliza o DirectX 12, então o benchmark é válido.

Ah sim, se você achou pouco poder, ainda dá pra ligar uma placa de vídeo offboard. É só comprar o amplificador gráfico e instalar outra placa para rodar seus games favoritos até em 4K.

Um notebook que precisa de muita energia

A análise de bateria de um notebook gamer não pode ser realizada com tarefas comuns ou softwares padronizados, uma vez que o consumidor raramente vai comprar uma máquina dessas para ver vídeos no YouTube ou realizar tarefas simples.

Assim, o ideal é pensar em verificações práticas, com a execução de jogos. Pois bem, a verdade é que laptops gamers consomem muita energia nessas situações, por conta do chip gráfico que roda com clocks elevados e dos sistemas de refrigeração que precisam estar constantemente ativados.

O Alienware 17 R4 conta com bateria de 99 Wh, um componente muito robusto, mas que certamente não faz milagres. Em nossos testes, ela aguentou pouco mais do que cinco horas para tarefas comuns no dia a dia com as luzes desligadas (teste que realizamos com a execução de vídeos no navegador).

Agora, na hora dos testes mais efetivos, percebemos que é bem difícil jogar por mais do que duas horas, porque o hardware consome muita energia. Se deixar as luzes ligadas e as ventoinhas sempre ativas, fica ainda mais difícil chegar nesses resultados.

Aliás, é bom você ficar sabendo que o notebook não roda em sua potência máxima na bateria. Não adianta mudar o plano de energia, pois o desempenho em jogos cai para quase um terço do normal. Assim, a melhor solução para usar todo o poderio é manter o PC conectado à tomada.

Tecnologia Tobii é um grande diferencial

Falando em inovação, a Alienware acerta novamente neste laptop ao introduzir uma função inédita e até um tanto revolucionária: a tecnologia de rastreamento Tobii. Trata-se de um software que trabalha em conjunto com o hardware para verificar a presença do jogador em frente ao computador.

Isso mesmo: a câmera do Alienware 17 R4 fica monitorando você constantemente. O objetivo? Economizar energia. É assustador, mas este notebook sabe quando você olha para ele e acorda sozinho para você voltar a jogar.

Com esta tecnologia, o notebook pode conferir quando há alguém o usando. Se não houver alguém posicionado em frente ao computador, o software faz ajustes de energia, desligando o teclado e a tela para que a bateria não seja desperdiçada.

Pena que esse modelo não tem o rastreador Tobii, um acessório revolucionário que incrementa a jogatina apenas com movimentos dos olhos. A demonstração acima dá uma boa ideia de como essa tecnologia pode incrementar ainda mais a experiência durante a jogatina.

Áudio de boa qualidade

Notebooks gamers geralmente trazem sistemas de áudio mais robustos, mas não são todos que conseguem entregar uma equalização bem equilibrada como a deste Alienware. Com alto-falantes de alta potência, a fabricante disponibiliza ao jogador uma experiência de som bastante caprichada.

O nível de volume do aparelho é elevado, os médios e graves são reforçados, evitando sons muito agudos, e a qualidade é de primeira. Com o programa da Alienware ainda é possível reforçar os graves e melhorar a nitidez da voz. As músicas e os sons dos jogos são envolventes.

Vale a pena?

A Dell acertou novamente ao trazer mais um Alienware de alta qualidade para o Brasil. O novo modelo de 17 polegadas chega cheio de surpresas para competir com a concorrência.

O Alienware 17 R4 mostra que a marca está empenhada em atualizar os jogadores com as tecnologias mais recentes, bem como em entregar novidades na parte visual. Ficamos bastante satisfeitos com o produto, que se mostra muito robusto e preparado para todas as tarefas.

Este modelo é muito bonito e poderoso, mas é uma pena que ele não seja muito prático para o dia a dia. O peso exagerado e a bateria com autonomia limitada (bem como as limitações do hardware sem o uso de energia externa) são inconvenientes que incomodaram um bocado.

O hardware atualizado, com direito a GeForce GTX 1070 e um processador muito poderoso (ainda que não de última geração), é ótimo para rodar os jogos mais recentes, mas isso também tem um preço. O modelo de entrada custa quase 9 mil reais, enquanto a configuração que testamos fica por mais de 13 mil reais.

Obviamente, para os consumidores brasileiros, este é um valor salgado. Contudo, analisando os valores de produtos similares, podemos perceber que ele não está muito caro. Há concorrentes que não têm design e tecnologias tão avançadas e custam quase a mesma coisa.

Então, se você pretende gastar 12 mil reais em um notebook gamer, pode ser uma boa ideia pegar logo um modelo mais completo como este Alienware. Parabéns à Dell pelo ótimo projeto!